Quarta-Feira, 26 de Julho de 2017

Saúde


02/12/2016 - 00:00

Embarcar com remédios exige cuidados

Quem vai viajar de avião com medicamentos de uso contínuo deve levar uma receita
Por Redação
Osasco

Quem está planejamento viagens de avião para essas férias deve ficar atento a um detalhe na hora de arrumar as malas: a forma correta de transportar medicamentos, principalmente os de uso contínuo.  Quem faz o alerta é José Sallovitz, coordenador médico da Allianz Global Assistance, empresa líder  global no segmento de seguro e assistência viagem. Segundo ele, os   passageiros que fazem uso de medicação contínua ou controlada podem viajar tranquilamente, desde que tomem algumas medidas preventivas. “Apesar de não ser obrigatório, em viagens dentro do Brasil, é indicado levar uma prescrição médica, registrada no nome do viajante, constando os medicamentos desse tipo que estão sendo transportados. Já no exterior, com diferentes normas sanitárias, é recomendado que o passageiro leve consigo também uma versão em inglês da receita e, se possível, a nota fiscal dos medicamentos”, explica o médico. Também é importante calcular as doses. “Uma boa dica é levar uma quantidade extra, para uma semana a mais, por exemplo, a viagem de retorno tenha que ser adiada”, completa.  Ele lembra ainda que a prescrição médica brasileira não tem validade no exterior. Para isso, o viajante teria que passar numa consulta em um hospital local e solicitar uma receita do país em visita. “Vale ressaltar que consultas clínicas não emergenciais, como essa, não estão cobertas pelo seguro viagem. Por isso, previna-se e leve a quantidade adequada dos seus medicamentos”, completa.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style