Domingo, 28 de Maio de 2017

Veículos


27/11/2016 - 00:00

Jaguar produzirá nove unidades do XKSS 60 anos depois

Fabricados à mão no Reino Unido, cada novo XKSS deve levar 10 mil horas de trabalho
Por Graciela Zabotto
Osasco

(gracielazabotto@webdiario.com.br)
 
A Jaguar Classic apresentou para o mundo no Petersen Museum, em Los Angeles, o primeiro Jaguar XKSS genuíno fabricado em quase 60 anos.
Considerado por muitos como o primeiro “supercarro” do mundo, a montadora criou o XKSS como uma versão para a estrada do D-Type, modelo de competição vencedor em Le Mans, que foi construído entre 1954 e 1956. Um ano depois, em 1957, nove veículos destinados a exportação para a América do Norte foram queimados em um incêndio na fábrica da Jaguar de Browns Lane, em Midlands. Por isso serão produzidos nove veículos. Todos terão os números de chassis da época, recuperados dos XKSS originais. A carroceria do XKSS é fabricada com uma liga de magnésio, exatamente igual ao modelo de 1957.

Os engenheiros trabalharam com as estruturas originais, a partir das quais foram criados modelos CAD (computer-aided design ou design assitido por computador) para facilitar a construção dos chassis. A equipe contou, ainda, com a colaboração de Reynolds, renomado fabricante de estruturas tubulares e tubos 531. A empresa ficou responsável de confeccionar as nove peças específicas para o modelo com medidas do sistema imperial ? utilizado no Reino Unido na década de 50 ? ao invés do sistema métrico decimal, mais comum atualmente As peças são soldadas em bronze, tal como se fazia com os tubos dos chassis do XKSS naquela época.

As réplicas têm especificações originais, como freio a disco Dunlop nas quatro rodas, equipados com uma bomba Plessey e pneus Dunlop nas rodas de liga de magnésio.
Sob o capô do XKSS encontramos o motor de 3.4 litros de 262 cv do Jaguar D-Type, com seis cilindros em linha. O propulsor inclui blocos de ferro fundido totalmente novos e três carburadores Weber DC03.

Já no interior, o novo XKSS exibe uma recriação perfeita dos indicadores Smiths da época. Os detalhes foram feitos com muito cuidado para que a réplica fosse idêntica aos modelos fabricados em 1957: a madeira do volante, a costura dos assentos de couro, os botões de metal do painel, entre outros. Os veículos postos à venda começarão a ser construídos à mão no começo do próximo ano e é estimado que serão gastas 10 mil horas de trabalho para fabricar cada novo XKSS.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style