Segunda-Feira, 23 de Outubro de 2017

Esportes


20/04/2017 - 00:00

Campeão da Superliga sai neste domingo

No maior clássico do vôlei nacional, Osasco e Rio decidem o título
Por Redação
Osasco

Tandara

Tandara (Foto: Luciano Benazzi)
Uma história que já teve 10 versões ganha, neste domingo, um novo capítulo. No maior clássico do vôlei nacional, os times do Nestlé/Osasco e do Rexona/Rio de Janeiro protagonizam a final da edição 2016/2017 da Superliga Feminina de Vôlei. Será a 11ª disputa de título do torneio entre os dois times.  E a 14ª decisão de Osasco, que, até hoje, só  ficou de fora da final da Superliga em duas oportunidades, na edição 2013/2014 e no ano passado (2015/2016). Nessa trajetória, a equipe carioca também tem história para contar: são 12 decisões consecutivas. Desde a edição 2004/2005, a equipe disputou, ininterruptamente, todos os títulos da principal competição de vôlei do País. Nessa balança tão equilibrada, a diferença está no número de títulos. São 11 para o Rio, que vai jogar mais esta final em casa, e 5 para Osasco, um quando ainda era o BCN (2002/2003), dois como Finasa (2003/2004 e 2004/2005) e dois sob patrocínio da Nestlé,  mas com o nome de Sollys/Osasco (2009/2010 e 2011/2012). Na atual temporada, os dois times apresentaram trajetórias distintas. Comandado por Bernardinho, o Rio fechou a fase de classificação com folga na liderança e perdeu somente um jogo, justamente para Osasco. Só que penou nas semifinais, precisando de 5 jogos para passar pelo Camponesa/Minas. Já as comandas do técnico Luizomar de Moura somaram 5 derrotas na fase de classificação. Mas emendaram uma série invicta nos playoffs, eliminando tanto o Fluminense, nas quartas de final, quanto o Praia Clube, nas semifinais, em três jogos diretos. Além disso, Osasco fechou a primeira fase do torneio liderando as estatísticas da CBV no fundamento ataque, com 27,38% de eficiência, e ainda em segundo em defesa, com 42,04%, e em saque, com 6,41%. Individualmente, conta com a força de Tandara, que  é a segunda melhor atacante, com 26,68% e a primeira em saque, com 9,40%, e também a maior pontuadora da Superliga, com 408 acertos. Outros destaques são Camila Brait, que é a segunda em defesa, com 41,86%, e Bia, a atleta com mais pontos de bloqueio nesta Superliga, com 106 acertos. Mas, quando se trata se Rio e Osasco, principalmente em finais, não são os números que pesam. E sim, a rivalidade.
 

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style