Segunda-Feira, 23 de Outubro de 2017

Cotidiano


20/04/2017 - 00:00

Sindicatos convocam greve geral para dia 28

Reformas Trabalhista e da Previdência, do governo Temer, são alvo do protesto
Por Erica Celestini
Osasco

Greve

Greve (Foto: Divulgação)
(cotidiano@webdiario.com.br)

Centrais sindicais convocaram, para o próximo dia 28, uma greve geral em todo o País. O objetivo é levar trabalhadores, de diversas categorias, às ruas para protestar contra a terceirização da mão da obra, já em fase de aprovação no Congresso Nacional, e ainda as reformas Trabalhistas e da Previdência, também  de autoria do governo do presidente Michel Temer  e que tramitam no Congresso. Em Osasco, os locais de realização dos protestos ainda não foram divulgados. Mas já está confirmada a participação de duas categorias: metalúrgicos e frentistas.  Nos próximos dias, o Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região fará mobilizações, nas portas de fábrica, para divulgar o ato. “É uma obrigação de todos os trabalhadores parar e convocar outros trabalhadores a fazer o mesmo. A responsabilidade é coletiva”, afirma o secretário-geral do sindicato, Gilberto Almazan. No Sindicato dos Frentistas, a mobilização acontece desde a última segunda-feira, com distribuição de panfletos aos funcionários dos postos. "É preciso que a indignação coletiva  se transforme em participação para a luta nas ruas", afirma José Maria Ferreira, presidente da entidade. Sindicatos de trabalhadores também estiveram à frente de um protesto que, em 15 de março, levou 2 mil pessoas às ruas de Osasco como parte de uma mobilização nacional contra Reforma da Previdência.  Dentre os pontos mais criticados da reforma estão a elevação para 25 anos no tempo de contribuição para a conquista da aposentadoria, além de idade mínima de 65 para obter o benefício. No caso da terceirização, já aprovada na Câmara, a proposta ampliou o número de setores da economia autorizados a fazer contratação de mão de obra dessa forma, que não exige recolhimento de direitos trabalhistas. A reforma trabalhista, por sua vez, tem como um dos pontos centrais que as convenções e acordos coletivos entre patrões e empregados possam prevalecer sobre a legislação.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style