Sábado, 21 de Setembro de 2019

Cotidiano


28/04/2017 - 00:00

Greve geral foi a maior em 30 anos na região

Avaliação é do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, que integrou o movimento. "Fechamos comércio, fábricas e paramos os transportes", afirma Jorge Nazareno
Por Erica Celestini
Osasco

Greve

Greve (Foto: Luciano Benazzi)
(cotidiano@webdiario.com.br)

Em termos de mobilização, a greve geral convocada por sindicatos de trabalhadores de várias categorias, nesta sexta-feira, contras as reformas Trabalhista e Previdenciária do governo do presidente Michel Temer, foi a maior registrada em Osasco e região nos últimos 30 anos. Quem faz essa avaliação é Jorge Nazareno, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e região, uma das entidades que esteve à frente do movimento. “Fechamos o comércio, as fábricas e paramos os transportes, incluindo ônibus e os trens”, afirmou ele.  “Uma greve geral, como essa, na região, só se compara às realizadas no início dos anos 80”, completou.  Além dos metalúrgicos, aderiram à greve – com paralisações parciais – bancários, comerciários, frentistas, técnicos judiciários e professores das redes públicas e particular. Em ato no Largo de Osasco e depois caminhada pelo Centro, o movimento fechou as lojas do Calçadão da rua Antônio Agu por cerca de 2 horas.  Já as greves com maiores extensões foram as do transporte público. Os trens, incluindo das linhas 8 e 9, que atendem a região e transportam, juntas, 1 milhão de pessoas por dia, deixaram de circular à zero hora e, até o fechamento desta edição, o funcionamento ainda era parcial em todo o sistema. Já os ônibus deixaram de transportar passageiros a partir das primeiras horas da manhã. Parte da frota não saiu das garagens.  Além disso, cerca de 60 ficaram “retidos”, pelos manifestantes, no Largo de Osasco e também na rua Primitiva Vianco. Depois, foram recolhidos às garantes. Mas voltaram a circular ainda no final da tarde de ontem.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style