Quinta-Feira, 21 de Setembro de 2017

Política


08/05/2017 - 00:00 - Atualizado em 08/05/2017 - 00:00

"Relação da base aliada nunca esteve tão boa", diz Ribamar

Ele vê críticas a administração como "pontuais"
Por Leonardo Abrantes
Osasco

"Relação da base aliado nunca esteve tão boa", diz Ribamar

"Relação da base aliado nunca esteve tão boa", diz Ribamar (Foto: Renato Silvestre)
(política@webdiario.com.br)

Antes quase que restritos à doutora Régia (PDT), líder da oposição na Câmara de Osasco, os questionamentos à prefeitura de Osasco têm aumentado nas últimas sessões da Casa. Desde o início da atual legislatura, pela primeira vez o líder do governo na Câmara, Ribamar Silva (PRP) precisou pedir para discutir requerimentos apresentados por parlamentares. Com isso, os documentos foram para o fim da fila da pauta de votação, retardando a discussão em plenário. Apesar disso, Ribamar não crê em instabilidade na relação do governo com sua base aliada que, segundo ele, “nunca esteve tão boa”.

Para Ribamar, as críticas são pontuais. “O governo nunca esteve tão bem como está hoje com a base aliada, agora existem alguns temas de debates calorosos que são pontuais, como por exemplo, a saúde que tem sido sempre debatido na Câmara, mas essa questão é nacional não é apenas de Osasco”, disse Ribamar. Acostumado às articulações nos bastidores da Câmara, Ribamar tem demonstrado jogo de cintura com a crescente insatisfação dos vereadores em relação à administração.

Na última sessão ordinária, o parlamentar usou o regimento interno para adiar a discussão de requerimentos que questionam, principalmente, o setor da saúde. De acordo com Ribamar, há conversas entre os vereadores no sentido de os questionamentos serem feitos diretamente ao governo e não por meio de requerimento. “Na articulação temos conversado com os Parlamentares, para pedirem informação e não apresentarem requerimento. Na nossa linha de trabalho sempre vamos fazer tudo com muito diálogo com os parlamentares, mas tudo deve ser analisado com cautela e prudência”, pediu Ribamar.

Ainda segundo o líder do governo, os questionamentos formais não estremeceram a relação de Rogério Lins com sua base aliada na Câmara. Ribamar também defende a autonomia da Casa em relação ao poder Executivo. Embora tenha trabalhado para adiar a discussão no plenário, o líder do governo diz que os requerimentos provam que os vereadores não são “submissos”.

“A base aliada não é submissa ao poder Executivo. Somos duas engrenagens distintas que trabalham juntas para o bom andamento da cidade e cada parlamentar tem seu livre arbítrio para escolher o melhor. O que vejo hoje é o empenho do prefeito Rogério Lins em colocar a cidade no rumo certo e é isso que os vereadores também querem [ao apresentar os requerimentos], mas isso não significa que a base está estremecida. Acabou aquela ditadura em que a Câmara era submissa ao Executivo. Aqui não tem voto de cabresto e sim consenso para o crescimento da nossa cidade”, concluiu. 

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style