Sexta-Feira, 22 de Setembro de 2017

Polícia

05/06/2017 - 00:00

Pai usa filha como isca e prende "tarado do escadão"

Rapaz abusava garotas na região de Belmonte e, ao tentar fugir, ficou preso em grade de arame farpado, além de ter apanhado dos vizinhos
Por Erica Celestini e Maranhão
Osasco

Tarado do escadão

Tarado do escadão (Foto: Divulgação)
(policia@webdiario.com.br)

A coragem de um pai e de sua filha, de apenas 13 anos, levou à prisão o “tarado do escadão”, como era conhecido um rapaz que abusava sexualmente de meninas no escadão que dá acesso à rua Estrela e à avenida Kenkiti Shimomoto, no Jardim Belmonte, em Osasco. Aproveitando-se que a via está cheia de mato, ele ficava escondido e, quando as garotas passavam,  pulava na frente delas, falando palavras de baixo calão e passando as mãos em suas partes íntimas. Na última terça-feira, uma delas conseguiu escapar e avisou ao pai, que armou o plano. Nos dias seguintes, ele seguiu a filha, de longe, enquanto ela passava no local, para que servisse de “isca”. Mas o suspeito não apareceu. Já na sexta-feira, ele pulou logo atrás ela e a agarrou. A menina começou a gritar e seu pai e seu tio, que estavam a poucos menos de distância, partiram para cima dele. O rapaz ainda tentou fugir, por um portão que dá acesso a um campo de futebol, mas ficou preso em uma cerca de arame farpado e foi alcançado. Nesse momento, outros moradores o cercaram e quase houve um linchamento, que só foi impedido para a chegada da Polícia Militar. “Já havia umas 10 pessoas em cima dele. Se não chegássemos, ele teria morrido”, conta com solado PM Eduardo, da 2ª Cia, que efetuou a prisão junto com o  soldado Pomparoni. O próprio pai da garota contou, em entrevista ao Diário, que foi difícil conter a raiva nesse momento. “Quando você pega, a vontade é fazer justiça com as próprias mãos. Só não fiz porque me seguraram. Não dormia desde terça-feira, pensando no que podia ter acontecido com minha filha”, revelou. A garota também está bastante assustada, mesmo com a prisão do suspeito. “Se eu não tivesse escapado, da primeira vez, acho que ele teria me arrastado para o campo e feito coisas que não quero nem imaginar. Agora, saio só acompanhada. Fiquei com trauma de sair na rua sozinha. Quero que fique peso por um bom tempo te aprenda a lição”, reforçou. O caso foi registrado no 2º DP de Osasco. Agora, a polícia procura outras possíveis vítimas para inclusão no inquérito. Garotas que tenham sofrido qualquer tipo de assédio nas regiões do Belmonte, Novo Osasco e Jardim D´Abril podem procurar a delegacia para fazer reconhecimento fotográfico.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style