Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017

IMÓVEIS


22/07/2017 - 00:00 - Atualizado em 22/07/2017 - 00:00

Químico ensina como proteger a madeira

Saiba como alguns cuidados básicos podem proteger e aumentar a vida útil do produto
Por Da redação
Região

Saiba como alguns cuidados básicos podem proteger e aumentar a vida útil da madeira

Saiba como alguns cuidados básicos podem proteger e aumentar a vida útil da madeira (Foto: Divulgação)
(gracielazabotto@webdiario.com.br)
 
Como garantir uma pintura perfeita e durável em superfícies de madeira? É realmente necessário envernizá-la e por quê? Dá para colorir uma madeira naturalmente escura? A campanha Mais Cor Para Sua Vida, do Sitivesp (Sindicato da Indústria de Tintas e Vernizes do Estado de São Paulo), incentiva o uso de cores e vernizes para preservar a beleza da madeira por mais tempo.
 
De acordo com o químico Vilnei Schreiber, gerente de pesquisa e desenvolvimento da Montana Química S.A., antes da superfície de madeira receber uma pintura é necessário que esteja limpa e livre de partículas de gordura. Em seguida, é indicado fazer um lixamento no sentido dos veios da madeira. “Madeiras envernizadas, dependendo do nível de degradação do acabamento, poderão ser apenas lixadas. Se a degradação for intensa ou no caso de existirem camadas de verniz envelhecidas, deverá ser feita uma remoção antes de uma nova aplicação”, recomenda Schreiber.
 
Esta remoção pode ser física, por meio de lixamento, ou utilizando um removedor de esmaltes, vernizes e stains ideais para superfícies verticais. Madeiras envelhecidas com aspecto acinzentado, sem nenhum tipo de pintura, devem receber tratamento com Clarideck para renovar a superfície, fazendo-a retomar as suas tonalidade e textura naturais. Para acabamentos finos, é aconselhável usar uma lixa 280 a 320 no sentido dos veios da madeira. Concluída a operação, é importante limpar a peça para eliminar os resíduos de poeira.
 
No caso de madeiras moles, a exemplo do Pinus, é necessário fazer uma aplicação prévia de Pentox Super para tratamento contra brocas e cupins. Madeiras resinosas como Ipê Tabaco, Itaúba, Cumaru, Grápia, Jatobá, Tatajuba e Nó de Pinus, entre outras, possuem extrativos (resinas/óleos) que podem causar manchas ou dificultar a secagem do acabamento. Nestes casos, o químico recomenda a aplicação prévia de um verniz isolante específico para madeiras resinosas. Esse produto garante o bloqueio à migração de extrativos, impossibilitando danos e melhorando o desempenho dos acabamentos. Também é possível limpar bem a superfície com pano embebido em Thinner de limpeza para redução dos extrativos, antes da aplicação do Isolare.
 
Superfícies que ficarão em ambientes abrigados e terão uma aplicação de verniz podem receber, previamente, uma camada de seladora. Porém não se deve aplicar seladora em superfícies que estarão expostas às intempéries.
 
Para colorir
Há diversos tipos de acabamentos coloridos e transparentes que podem ser aplicados em portas, janelas, portões, móveis de jardim, beirais, decks, estruturas aparentes e divisórias de madeira.
 
Mas para colorir uma madeira mais escura é importante saber que a cor final pode ser alterada, conforme o tom original da peça. “Neste caso, recomenda-se utilizar cores sólidas, com maior opacidade. Existem tratamentos químicos para clareamento da madeira que permitem a aplicação de cores mais claras em madeiras mais escuras”, esclarece o químico da Montana.
 
Diferenças entre verniz e stain
Vernizes: são produtos mais conhecidos quando se trata de proteger e embelezar a madeira. Eles apresentam baixa impregnação e formam uma película transparente sobre a superfície em que foram aplicados. São acabamentos geralmente apresentados nas versões brilhantes ou acetinados.
Stain: esse produto forma uma fina película com acabamento acetinado, que não trinca nem descasca. Nesta categoria há duas classificações, o stain decorativo que protege e embeleza, e o preservativo que protege, embeleza e preserva a superfície da madeira contra a umidade, o sol e os fungos.
 
“Quando se trata de madeiras que estarão diretamente expostas à luz solar, recomenda-se o uso de vernizes que possuam, no mínimo, duplo filtro solar. Outra opção é o stain, considerado por muitos arquitetos como a melhor forma de proteger a madeira em ambientes externos, preservando seu aspecto natural. Os stains preservativos devem possuir um registro do Ibama inscrito no rótulo, certificando sua ação fungicida”, alerta o profissional.
 
Uma das maiores vantagens do stain é a facilidade de manutenção. Enquanto o verniz precisa ser removido completamente antes de uma nova aplicação, no caso do stain basta limpar bem a superfície para tirar o pó que se acumula com o tempo. Ele nada mais é do que resíduo do produto desgastado. Este procedimento é mais simples e torna a manutenção muito mais rápida e barata.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style