Segunda-Feira, 20 de Novembro de 2017

Política


11/08/2017 - 00:00

Câmara deve votar na próxima terça passe livre para professores

Projeto é de autoria do vereador Batista Comunidade que justifica a necessidade do benefício para cobrir a defasagem salarial da categoria
Por Maximiliano Soriani
Osasco

Batista

Batista (Foto: Luciano Benazzi)
(maximiliano@webdiario.com.br)

Deve voltar à pauta da Câmara Municipal de Osasco na próxima terça-feira, 15, o Projeto de Lei 19/2017, do vereador Batista Comunidade, que institui o passe livre para os professores municipais nos serviços de transporte público coletivo explorados, permitidos ou concedidos na cidade.  A matéria estava inclusa para ser apreciada na sessão de quinta-feira, 10, porém, não houve quórum na Ordem do Dia.

Ao Diário da Região, Batista comentou que a classe já conta com defasagem salarial. “A gente se ateve muito à questão salarial e pela mobilidade urbana. Conversei com alguns professores e muitos deles utilizam o transporte público”, disse. Em outro ponto, o vereador relembra que projeto semelhante já tramitou na Câmara Municipal, sendo de autoria de Rogério Lins (PODE) quando ainda era vereador. Todavia, mesmo com a propositura sendo aprovada à época pelos demais legisladores, o texto foi vetado pelo então prefeito Emidio de Souza (PT).

“Hoje o prefeito é o próprio Rogério Lins que, tenho certeza que apoiaria este projeto de grande importância para a cidade de Osasco”, observa Batista. De acordo com o projeto, a gratuidade aos professores será concedida em todos os dias da semana, ou seja, valendo também aos sábados e domingos. O texto exalta que em nenhuma hipótese poderá ser autorizado ao aumento das tarifas de transporte urbano devido aos custos que esse benefício possa originar. 

A gratuidade seria concedida mediante apresentação de identidade profissional de professor Municipal ou pela apresentação do demonstrativo de pagamento que o identifique como profissional da área, do mês em curso ou do mês anterior. O benefício terá validade em todos os transportes coletivos que circulem na cidade, por outro lado, o ofício também prevê a possibilidade de a prefeitura firmar convênio com outros municípios ou com os governos estadual e federal, para ser estendido aos transportes intermunicipais. Contudo, no depoimento ao jornal, Batista admite que não se aprofundou sobre o assunto com o prefeito ou com representantes das empresas de ônibus em Osasco.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style