Terça-Feira, 22 de Agosto de 2017

Esportes


11/08/2017 - 00:00

"Não sou a nova Sheilla", diz Tandara

Jogadora de Osasco é apontada como sucessora da oposta
Por Redação
Osasco

Tandara

Tandara (Foto: Luciano Benazzi)
(esportes@webdiario.com.br)

Desde que Sheilla anunciou sua aposentadoria da seleção brasileira de vôlei, o time está em busca de uma substituta. Ao assumir a artilharia do Brasil, jogando nessa posição, nos títulos do torneio de Montreux e do Grand Prix, Tandara passou a encarar o desafio de substituir uma das estrelas da modalidade. Mas a jogadora do Nestlé/Osasco vai logo avisando: “Sempre aprendi muito com ela, mas não sou a nova Sheilla. Sou a nova Tandara”. Essa “nova Tandara”, segundo ela, é uma atleta mais experiente, forte e confiante, mas em constante evolução. “Acredito que o amadurecimento vem de acordo com o tempo. São 8 anos defendendo a seleção brasileira adulta, sendo 7 anos de aprendizado.

Chegou a hora de colocar em prática tudo que assimilei nesse processo. Foi o que procurei fazer no Grand Prix, assumindo a posição de oposta”, revela. Nesse processo de aprendizagem, ela volta a citar Sheilla. “Como já disse, aprendi muito, mas muito mesmo, com a Sheilla. Por exemplo, como suportar e reagir em momentos difíceis, como me portar diante da comissão técnica e companheiras, além da parte técnica do jogo. E vou seguir assim, procurando sempre a excelência, buscando evolução em todos os fundamentos e atribuições que me forem dadas”, afirmou.

Os bons desempenhos podem ser considerados ainda uma “volta por cima” da jogadora, que foi cortada da seleção, pelo técnico José Roberto Guimarães, às vésperas das Olimpíadas do Rio de Janeiro. Agora, como uma das líderes do renovado elenco, ela encara mais um desafio. A partir de terça-feira, a seleção disputa o Campeonato Sul-Americano, em Cali, na Colômbia. O campeão da competição garante vaga no Mundial de 2018.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style