Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Esportes


16/11/2017 - 00:00 - Atualizado em 16/11/2017 - 00:00

Varela disputa rali no deserto mexicano

Ele vai contar com ajuda dos filhos no México Baja 1000
Por Da redação
Região

(esportes@webdiario.com.br)

Entre os 397 inscritos de 27 países e de 44 Estados dos Estados Unidos, uma equipe se destaca na 50ª edição do Baja 1000, uma das mais duras provas de off-road do mundo, que acontece até 18 de novembro, no México. A  Divino Fogão Rally Team, de Alphaville, terá formação inédita na pilotagem: o bicampeão mundial de Rally Cross Country Reinaldo Varela e seus três filhos, Bruno, Gabriel e Rodrigo.

“É a primeira vez que nós quatro vamos correr juntos em um carro. Imagina, é um prazer muito grande dividir a pilotagem com os meus três filhos, todos campeões brasileiros de UTV. E eu disputando esta etapa final, de repente dá tudo certo e eles me ajudam a conquistar este título inédito”, diz o patriarca da ‘Família da Poeira’, que também terá, ao seu lado, o navegador Gustavo Gugelmin.

O México Baja 1000 é a quarta e última etapa do World Desert Championship, em que a dupla Reinaldo Varela/Gustavo Gugelmin ocupa a terceira colocação, e com chance matemática trazer este inédito título de campeões mundiais para o Brasil. “Estamos indo para a última etapa em condições de brigar pelo título e já estamos prontos. É um pouco distante, mas matematicamente dá para brigar pelo primeiro lugar do campeonato. São 70 pontos só por terminar o Baja 1000, mais os pontos que conquistarmos por posição. Nossas chances de encerrarmos como vice-campeões ou terceiro são muito concretas. Vamos pra cima porque o campeonato está aberto”, avisa Gugelmin.

A prova de 1.134,40 milhas (1.825 km) começou nesta quinta em Ensenada, na Baja California, porto marítimo no Oceano Pacífico, e termina em La Paz, na Baja California Sur, perto da ponta da  Península de Baja California. A previsão é de o vencedor terminar o percurso em 24 horas e o tempo máximo da prova para pontuar é de 48 horas.

Numa prova deste tamanho, a estratégia é trocar os pilotos a cada 300 a 400 milhas, nas paradas para abastecer e trocar pneus. Será um percurso difícil, em que a média horária deve ser de 70 a 80 km/h, por causa dos trechos travados, retas curtas, lomba, pedras e rochas no deserto. “É uma edição histórica do Baja 1000, de 50 anos, está vindo todo mundo que corre nos Estados Unidos e de muitos países do mundo”, conta Gabriel Varela, que este ano venceu em Las Vegas (EUA) a The Mint 400, uma das principais competições de UTV da América do Norte

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style