Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Cotidiano


30/11/2017 - 00:00 - Atualizado em 30/11/2017 - 00:00

Braço Morto passa por limpeza e alargamento de suas margens

Meta é combater enchentes com proximidade do período de chuvas. Além da retirada de detritos, prefeitura irá alargar margens do rio. Antes serão removidas 200 famílias
Por Da redação
Região

Para combater as enchentes na Zona Norte de Osasco, a prefeitura vai fazer o desassoreamento – retirada de detritos e aprofundamento da calha – do Braço Morto do Rio Tietê. Os trabalhos serão concentrados no trecho entre o Piscinão do Rochdale e avenida Bandeirantes e devem durar 3 meses. Mas, antes disso, acontece a remoção de 200 famílias que vivem em uma ocupação irregular, às margens do córrego.

Essas moradias, de acordo com a pasta, dificultam a limpeza, pois eram feitas em forma de palafita, dentro do córrego, dificultando o acesso das máquinas para limpeza. Os moradores foram incluídos no Bolsa Aluguel, da Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano. Após a demolição dos barracos, também será feito o alargamento das margens do córrego.

De acordo com a prefeitura, as obras complementam as ações em andamento desde o dia 18, quando cerca de mil moradores do Rochdale, Jardim Marieta e Jardim Santa Rita tiveram suas casas atingidas por enchentes, levando à decretação de estado de Calamidade Pública, o que permitiu a realização das obras de desassoreamento em caráter emergencial. Além disso, desde janeiro, as equipes da Secretaria de Obras e Serviços executaram 16 mil limpezas de bocas de lobo na região, além de retirar lixo e entulho das ruas e córregos. Somente na rua Cuiabá, uma das mais afetadas pelas enchentes, foram retirados 380 caminhões de entulhos, contendo em média 10 toneladas cada. Além disso, a Prefeitura desassoreou os córregos Açucará e Rico, retirando mais de 2.200 caminhões de resíduos, cada um contendo 15 toneladas. 

 

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style