Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Cotidiano


30/11/2017 - 00:00 - Atualizado em 30/11/2017 - 00:00

Mesmo com chuva, o nível do Cantareira está em queda

Por Da redação
Região

(cotidiano@webdiario.com.br)

As chuvas de novembro causaram enchentes. Mas não foram suficientes para ajudar o sistema Cantareira a manter seu nível de armazenamento. Durante todo o mês, a chuva sobre as represas que formam o manancial somaram 163,7 mm, volume ligeiramente superior à média histórica para esse período do ano, que é de 161,6 mm. Mas, nesse mesmo período, o nível de armazenamento caiu de 46,2 mm em 1º de novembro para 44,4% no dia 30. Apesar da queda no índice esse volume interrompeu dois meses seguidos de volumes de chuva abaixo da média. Em outubro,  foram 97,6 mm de chuvas, o que equivalente a 75% do esperado para essa época do ano, que era de 129,5 mm. A situação, no entanto, já foi  melhor que a do mês anterior. Em setembro, foram 16,2 mm de chuva, contra 87,1 mm de média história, o que equivale a apenas 18% do que costuma chover nessa época do ano.  A estação chuvosa segue até março do próximo ano. Até lá, os maiores volumes são esperados para dezembro, com 220,5 mm; janeiro, com 263 mm; e fevereiro, com 202,5 mm. Além disso, a partir de janeiro, o Cantareira deve ganhar um “alívio”. Essa é a previsão de entrada em operação do Sistema São Lourenço, que vai trazer água de Ibiúna para abastecer Cotia, Itapevi, Barueri, Carapicuíba e Jandira, hoje todas abastecidas pelo  Cantareira.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style