Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Política


06/12/2017 - 00:00

Vereadores de Barueri defendem o 13º salário

Na Câmara, eles se disseram injustiçados por críticas. "Todas as categorias recebem os benefícios e a nossa categoria também tem esse direito", afirmou Rafa Gente da Gente. Já Allam Miranda afirmou que vereadores estão apenas cumprindo a lei, já que medida foi autorizada pelo STF. Tema dominou as discussões na sessão desta semana
Por Juliana Oliveira
Osasco

Rafa Gente da Gente

Rafa Gente da Gente (Foto: Divulgação)
(politica@webdiario.com.br)
 
Os vereadores de Barueri se dizem “injustiçados” pela imprensa, que segundo eles, interpretou de forma equivocada a criação e aprovação, na Câmara, de projeto que concede 13º salário e 1/3 de férias a eles mesmos e de lambuja ainda regulamenta descanso de 30 dias. Além disso, alegam que estavam apenas “cumprindo a lei”, já que a brecha para o pagamento desses benefícios, aos vereadores, foi aberta em decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). O tema dominou as discussões da sessão de terça-feira. Mas, mesmo com toda a “choradeira”, não ficou claro para ninguém se o projeto será mantido ou retirado para correção e nova votação, conforme havia anunciado, na última semana, o presidente do Legislativo, Carlinhos do Açougue, que explicou ainda, posteriormente, que ela tem validade apenas para a próxima legislatura. A matéria  foi aprovada no último dia 28, de forma relâmpago, em menos de 10 minutos, e não mereceu discussão em plenário. Já nesta terça-feira, a situação foi bem diferente. Neto Amorim (PV) foi o primeiro a usar a tribuna e culpou a imprensa por receber críticas da população após a provação.  “Os jornais estão errados ao afirmar que os vereadores votaram o projeto às escuras”, reclamou. Já Rafa Gente da Gente (DEM) chegou a comparar o benefício com auxílios recebemos por deputados. “Os deputados recebem até auxílio terno e nós não temos direito nem ao 13º salário. O Supremo foi feliz em rever essa situação e isso vai favorecer os vereadores. Graças a Deus aprovamos o projeto que vai beneficiar os vereadores da próxima Legislatura”, disse. O Democrata alegou ainda que os vereadores “abrem mão de suas próprias vidas e do convívio familiar para servir o cidadão” e que por isso merecem 13º e férias. “Todas as categorias recebem os benefícios e a nossa categoria também tem esse direito. Estamos amparados tanto pela Constituição Federal quanto pelas leis municipais. Não pretendemos legislar em causa própria. Já o vereador Allan Miranda (PSDB) tentou justificar a aprovação da matéria com a decisão do Supremo  “Estamos cumprindo a lei. Nossa obrigação é cumprir a lei. No meu entendimento, devemos respeitar o período da anterioridade e deixar o benefício para a próxima legislatura. Os jornais divulgaram de forma maldosa, é mentira que ganhamos presente de Natal”, concluiu.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style