Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Cotidiano


06/12/2017 - 00:00

Prefeitura retira 80 toneladas de lama do Braço Morto

Ação, que acontece no trecho entre Rochdale e Aliança, visa combater enchentes. "São ações que vão na raiz do problema, desobstruindo tubulações que há décadas estavam entupidas", afirma o prefeito Rogerio Lins
Por Redação

Braço morto

Braço morto (Foto: Divulgação)
(cotidiano@webdiario.com.br)

A Prefeitura de Osasco segue, esta semana, com o desassoreamento do Braço Morto do Rio Tietê, entre os bairros do Rochdale e Aliança, cujos transbordamentos são a principal causa de alagamento nos bairros.  Nos primeiros dias de obras, foram retiradas mais 80 toneladas de lama e entulho do Braço Morto. O projeto também envolve a  demolição de barracos construídos em palafitas sobre o rio, remoção das famílias e cadastramento em programas habitacionais, além de limpeza, rebaixamento da calha e alargamento do  leito do Braço Morto.  Na terça-feira, o prefeito Rogério Lins esteve no local e acompanhou os trabalhos entre o piscinão do Rochdale e a avenida Passaredo. “Iniciamos aqui essas obras que não são apenas paliativas e nem somente de manutenção. São ações que vão na raiz do problema, desobstruindo tubulações que há décadas estavam entupidas, acabando com os problemas das enchentes nessa região. Agora, as máquinas da prefeitura já estão trabalhando e executando serviços de limpeza, rebaixamento da calha em dois metros e também vão alargar o leito,  dando maior fluidez às águas do Braço Morto do Tietê”, disse Lins. Até o momento já foram removidas 150 famílias e outras 80 serão removidas nos próximos dias. Elas foram encaminhadas para o programa Bolsa Aluguel até ficarem prontas unidades habitacionais, conforme o cadastro na Prefeitura.  As moradias sobre o rio não permitiam também o acesso de máquinas pesadas para obras de limpeza e desassoreamento, além de acumularem o lixo trazido pelas águas.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style