Domingo, 21 de Janeiro de 2018

Política


13/12/2017 - 00:00

Vereadores aprovam orçamento de R$2,4 bilhões em 1ª votação

Essa será a receita disponível para o prefeito Rogério Lins administrar Osasco no próximo ano. Câmara também aprovou três emendas ao projeto
Por Leonardo Abrantes
Osasco

Rogério Lins

Rogério Lins (Foto: Luciano Benazzi)
(política@webdiario.com.br)

A Câmara Municipal de Osasco aprovou nesta quarta-feira, 13, em sessão extraordinária, a Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2018. O orçamento, 2,96% superior ao de 2017, tem receita estimada em R$2.470.056.790,00, mas é inferior aos R$2.695.993.263,00 previstos inicialmente pela prefeitura. Os vereadores ainda aprovaram três emendas ao projeto, indicando transferência de valores de um setor para outro.

Inicialmente prevista para acontecer na última terça-feira, 12, a votação do orçamento foi adiada por um dia para discussão de projetos considerados urgentes pelo governo, como o Plano de Carreira da Guarda Civil Municipal (GCM) e a equiparação salarial de médicos plantonistas e diaristas da rede pública de saúde. De acordo com a LOA aprovada pelos vereadores, todas as secretarias municipais sofreram cortes orçamentários. O corte atingiu, principalmente, a secretaria da Saúde que perderá R$69 milhões em relação ao primeiro projeto orçamentário enviado à Câmara Municipal.

Mesmo com os cortes, os parlamentares não pouparam emendas ao projeto. Ao todo, seis foram apresentadas indicando transferência de valores para setores considerados carentes peles vereadores. Três delas foram aprovadas. Enquanto Batista Comunidade (PTdoB) solicitou a utilização de R$150 mil para construção de quadra society no Jardim D’Avila.

Josias da Juco (PSD) fechou o pacote de emendas sugerindo ao prefeito a destinação de R$50 mil à equipe de ginástica artística e mais R$100 mil para a compra de equipamentos para a GCM. Por outro lado, nem chegaram a ser discutidas, por terem sido consideradas inconstitucionais, emendas do líder do Podemos, partido do prefeito Rogério Lins, na Câmara Municipal, Ralfi Silva indicando R$370 mil para a aquisição de uma unidade móvel odontológica e R$2,6 milhões para a construção de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) no Bel Jardim. E ainda de Doutora Régia (PDT), líder da oposição, que indicou R$100 mil para a Ordem dos Emancipadores de Osasco (OEO). Antes de ser devolvido ao prefeito, a Lei Orçamentária Anual precisa passar por segunda votação na Câmara, o que deve acontecer até o final dessa semana. O projeto deve ser incluído na pauta da sessão ordinária desta quinta-feira, 14, mas pode, também, ser objeto de uma nova extraordinária na sexta-feira, 15. Depois de aprovarem o orçamento em segunda votação, os vereadores podem entrar, oficialmente, em recesso parlamentar. 

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Vip Style