Segunda-Feira, 20 de Agosto de 2018

Polícia

02/08/2018 - 00:00 - Atualizado em 02/08/2018 - 00:00

Homem confessa ter assassinado motorista após briga de trânsito em avenida de Osasco

Três dias antes do crime, ele teve seu carro danificado, a golpes de bastão de beisebol, pela vítima, durante uma discussão. E voltou para matá-lo, com seis tiros. Preso quando saia de casa, no Jardim Cipava, para levar o cachorro passear, ele acabou confessando o crime
Por Erica Celestini e Maranhão / policia@webdiario.com.br
Osasco

Foi preso na manhã desta quinta-feira, por investigadores do SHPP (Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa), da Delegacia Seccional de Osasco, um homem acusado de ter assassinado outro a tiros, no último dia 19 de julho, na rua Mario Pinto Serva, no Centro de Osasco. Ele foi preso em sua casa, no Jardim Cipava. Em depoimento, o homem, identificado apenas como Carlos, confessou o crime, que teria sido uma vingança após uma briga de trânsito, ocorrida três dias antes, na avenida Sport Club Corinthians Paulista, na qual seu veículo foi danificado.  

A briga começou, segundo a polícia, quando Carlos freou seu veículo, um Fiesta, em farol amarelo. O outro motorista, identificado como Wagner, que vinha atrás em um Uno, não gostou e começou a xingá-lo. Depois, desceu com um bastão de beisebol e quebrou o carro de Carlos. Dias depois,  Carlos foi até a rua onde Wagner morava e o assassinou, com 6 tiros, quando saia de sua casa, na rua Mario Pinto Serva. Para chegar até Carlos, os investigadores do SHPP tinham como pistas apenas relatos da briga e imagens borradas  do Palio usado pelo assassino na fuga. Foi a partir de várias combinações de placas que os policiais chegaram até o veículo, que pertencia a um amigo de Carlos, e depois chegaram até ele. Outro detalhe pesou nas investigações.

Os  investigadores sabiam, pelas imagens, que o atirador era canhoto e, procurando informações de Wagner nas redes sociais, viram imagens com um cigarro na mão esquerda. Ao fazer exame residuográfico, o suspeito disse que era destro. Mas assinou os papéis com a mão esquerda, aumentando as suspeitas. Após obtenção do mandado de prisão temporária,  solicitado pelo delegado Francisco Pereira Lima - os investigadores, ainda durante a madrugada, montaram o certo à casa do acusado, conseguindo prendê-lo por volta das 8h30, ao sair de casa para passar com o cachorro. Carlos já havia cumprido 15 anos de prisão por roubo.  Agora, a polícia investiga como ele descobriu o endereço de Wagner e se houve participação de outras duas pessoas no crime, já que ele foi acompanhado até local.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style