Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018

Polícia

10/09/2018 - 00:00 - Atualizado em 10/09/2018 - 00:00

Ataques com mortos foram na mesma rua de chacina dos 17

Por Da redação / policia@webdiario.com.br
Osasco

Um mesmo endereço e dois crimes semelhantes, em um intervalo um pouco maior que três anos. O ataque que deixou dois mortos, na noite de sexta-feira, em Osasco, aconteceu no mesmo palco da chacina de 13 de agosto de 2015, que ficou conhecida como a maior da história de São Paulo. Na noite do feriado, por volta das 21h30, dois rapazes foram baleados enquanto caminhavam pela rua Antônio Benedito Ferreira, no Munhoz Júnior, onde também fica o Bar do Juvenal, no qual foram assassinadas 8 das 17 vítimas da chacina. As outras 9 mortes aconteceram quase que simultaneamente, em um ataque em Barueri.

Desta vez, o caso de Osasco também não foi isolado. Meia hora antes, outras duas pessoas foram mortas em um bar em Carapicuíba, a cerca de 7 quilômetros do primeiro ataque. Os atiradores, que usavam fuzis e coletes e aprova de bala, segundo testemunhas, conseguiram fugir. A única ligação entre os dois casos, até agora, é um veículo de cor prata, que foi visto nos dois locais, ocupado pelos suspeitos.  Em Carapicuíba, o carro prata passou em frente a uma lanchonete na Rua Maria Dilza dos Santos Lima, na Vila Dirce, fez a volta e parou na porta do estabelecimento. Ocupantes do veículo abriram fogo e atiraram e atingiram 3 homens.

Um deles morreu no local, outro chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital e o terceiro ficou ferido e está internado. Uma das vítimas fatais é o dono da lanchonete, identificado como Eduardo Florentino.  Meia hora depois, homens também ocupando um carro prata atiraram nos dois homens que estavam na Rua Antônio Benedito Ferreira, no bairro Munhoz Júnior Um dos atingidos morreu no local. O outro foi socorrido pelos bombeiros até o Hospital Imperial em Barueri, mas não resistiu aos ferimentos.  Já foi apurado que nenhum deles tinha passagem anterior pela polícia. As investigações acontecem em separado. Em Carapicuíba, o caso está sendo investigado pelo 2º DP. Já em Osasco, está a cargo do Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), da Delegacia Seccional.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style