Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020

Polícia

08/10/2018 - 00:00 - Atualizado em 08/10/2018 - 00:00

Prefeitura afasta treinador acusado de abusar de menores

Por Da redação / policia@webdiario.com.br
Osasco

Duas garotas, de 13 e 15 anos, acusam o treinador da equipe de atletismo de Osasco de abuso sexual. O caso foi revelado pelo programa Esporte Espetacular, da Rede Globo. Luiz Antônio Lino tem 70 anos e é, há 35, funcionário da prefeitura, que mantém o projeto de formação de novos atletas na modalidade. Ele também é ex-técnico das categorias de base da seleção brasileira. Após as denúncias, a prefeitura o afastou do cargo e instaurou um processo disciplinar para desligá-lo por assédio sexual. “Até a conclusão do processo, ele continuará afastado de suas funções”, completou a administração, em nota, dizendo ainda que colabora com as investigações e presta apoio às famílias.

Ele também foi afastado, preventivamente, das funções que exercia na Confederação Brasileira de Atletismo. A primeira denúncia foi feita pela adolescente de 15 anos. Os abusos começaram depois que os treinos deixaram de ser feitos no Sesi, que cedia o espaço para o projeto da prefeitura, e passaram para o Parque da Cidade das Flores. Lino insistia em levá-la para casa de carro. Foi nessa situação que começaram os ataques. “Acabei meu treino, já era meio tarde. Ele me pegou e me empurrou no carro, nisso daí já trancou. Aí ele parou num lugar e já enfiou a língua na minha boca. E falou para mim que não era para contar para ninguém, senão ia sumir comigo. E nesse negócio de sumir ele falava já que eu ia ser esquartejada, que ia me estuprar, essas coisas”, afirmou.

A  adolescente também acusa o treinador de obrigá-la a fazer sexo oral. Foi a mãe quem descobriu os abusos, ao flagrar mensagens do técnico à filha, pelo celular.  Na última quinta-feira, outra vítima, de 13 anos, também registrou um boletim de ocorrência relatando ter sido abusada pelo técnico. “Quando eu ia para competição, sempre queria que eu sentasse na frente. Passava a mão na minha perna, apertava as minhas coxas. Falou que meu peito parecia um "escondidinho de queijo". Bateu na minha bunda e pegou no meu peito”, completou. Segundo ela, Lino também mostrou imagens de sexo explícito em seu celular. Por meio de uma nota divulgada por seus advogados, o técnico chama as "afirmações de covardes e inverídicas".

Também afirma que "os documentos foram produzidos artificialmente em mídias sociais contra um profissional com mais de 50 anos de atividade.”

Vip Style