Quinta-Feira, 18 de Outubro de 2018

Polícia

11/10/2018 - 00:00

Chefe de quadrilha de golpistas de "luxo" é preso no Tamboré

Na garagem de sua casa em condomínio de Santana de Parnaíba foram apreendidos carros avaliados em R$20 milhões, incluindo Ferrari e Lamborghini. Bando faturou R$ 400 milhões em 18 meses e gastou tudo em carros de luxo, casas e viagens
Por Da redação
Parnaíba

Suspeito iniciou série de golpes vendendo passagens aéreas falsas

Suspeito iniciou série de golpes vendendo passagens aéreas falsas (Foto: Reprodução/G1)
Um empresário de 23 anos, identificado como Pablo Borges e morador de um dos residenciais do Tamboré, em Santana de Parnaíba, foi preso acusado de chefiar uma quadrilha de golpistas de “luxo”. Ele e outros dois comparsas são suspeitos de terem desviado mais de R$400 milhões, nos últimos 18 meses, em operações bancárias pela Internet e fraudes de cartão de crédito, usando um programa de computador que invadia as contas e fazia transferências.  

E “lavavam” o valor por meio de depósitos em contas de “laranjas” e usando 5 empresas de fechada. O trio gastava tudo em carros de luxo, mansões e viagens. Pablo foi detido em sua casa. Na garagem, estavam quatro carros esportivos, incluindo dois Lamborghinis e uma Ferrari. Mas ele é dono de muitos outros, incluindo Porsches, Audis e Maserattis. Segundo o Ministério Público de São Paulo, os valores dos carros somam mais de R$ 20 milhões. Na casa, os policiais também encontraram joias, dinheiro e réplicas de armas usadas  de “airsoft”. Outro suspeito foi preso em Francisco Morato e o terceiro, em São Vicente.

Além dos carros, os R$400 milhões também foram gastos com aluguel de iates, compra de motos aquáticas e viagens a locais como Mônaco, Monte Carlo e Paris, nas quais pagavam as despesas com dinheiro vivo. Ainda não se sabe o número de vítimas, mas todos os bens apreendidos dos criminosos foram bloqueados pela Justiça e serão usados para cobrir o prejuízo aos clientes identificados.

A prisão do trio foi feita pela Polícia Civil, com participação do Ministério Público (MP), durante a operação “Ostentação”, deflagrada pela 4ª Delegacia de Investigações de Crimes Cometidos por Meios Eletrônicos (4ª DIG), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), e pelo Núcleo de Investigações de Crimes Cibernéticos (Cyber Gaeco), do Ministério Público.

As investigações duraram 6 meses. Segundo a policia, Pablo iniciou a carreira de estelionatário aplicando o “golpe de milhagem”, oferecendo passagens aéreas por valores muito abaixo dos praticados, mas que eram falsas. A vítima descobria a fraude na hora do embarque. Em seguida, o suspeito encabeçou o esquema de captura de informações de clientes bancários.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style