Quarta-Feira, 19 de Dezembro de 2018

Política


05/12/2018 - 00:00 - Atualizado em 05/12/2018 - 00:00

Lins quer multa "severa" para maus tratos animais

"Mesmo sabendo que a vida de um animal não tem preço, enviamos para Câmara Municipal um projeto de lei que impõe multas severas a quem comete ou permite maus tratos aos animais", disse o prefeito em vídeo nas redes sociais
Por Erica Celestini / cotidiano@webdiario.com.br
Osasco

Lins também disse que se reuniu com a ativista Luisa Mell, que atua na causa animal, para falar sobre a implantação do Hospital Público Veterinário

Lins também disse que se reuniu com a ativista Luisa Mell, que atua na causa animal, para falar sobre a implantação do Hospital Público Veterinário (Foto: reprodução/redes sociais)
O prefeito de Osasco, Rogério Lins, anunciou nesta quarta-feira o envio, à Câmara Municipal, de um projeto de lei que endurece a punição para os casos de maus tratos animais. A medida foi adotada após agressão, por um segurança, a um cachorro de rua no Carrefour Osasco. O animal morreu em decorrência dos ferimentos. Defendendo “multa severa” para que ações como essa não se repitam, Lins também destacou que acompanha o caso desde o início e falou sobre o andamento das investigações pela Polícia Civil.

“Estamos contribuindo com todas as informações para que tudo seja esclarecido rapidamente e para que os responsáveis possam ser punidos civil e criminalmente.  Também estive na Delegacia Ambiental e, através de vídeo, já foi possível identificar o agressor. Além disso, está em posse da Polícia Civil a barra de ferro usada por ele. Mas, na minha opinião, esse assunto não se encerra por aqui. Vamos ampliar nossas ações em defesa dos animais . Mesmo sabendo que a vida de um animal não tem preço, enviamos para Câmara Municipal um projeto de lei que impõe multas severas a quem comete ou permite maus tratos aos animais”, afirmou ele, em vídeo postado nas redes sociais.

Lins também disse que se reuniu com a ativista Luisa Mell, que atua na causa animal, para falar sobre a implantação do Hospital Público Veterinário, que começa a funcionar no primeiro semestre do próximo ano.  Segundo ele a intenção é unir ONGs e ativistas para definir o melhor formato de atendimento. “Vamos contar com regate e procedimentos especializados. Com isso, também vamos evitar que tristes episódios como esse voltem a acontecer na nossa cidade”, finalizou. O inquérito policial sobre o caso, pela Delegacia do Meio Ambiente, foi instaurado na última segunda-feira.

Até agora, 10 pessoas foram ouvidas. Nesta quarta-feira, quatro delas confirmaram terem visto um segurança do Carrefour agredir o animal, no estacionamento, com uma barra de alumínio. Uma das testemunhas, inclusive, ajudou no socorro. Falta agora ser ouvido o próprio segurança, que está fora de Osasco. Ele deve comparecer à delegacia ainda esta semana, acompanhado de seu advogado. A previsão é de que inquérito seja concluído até segunda-feira, para ser enviado à Justiça.
Fras frase frase
 


Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style