Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019

Cultura


21/12/2018 - 00:00 - Atualizado em 21/12/2018 - 00:00

Um mundo inteiro a ser descoberto

Mais do que buscar adquirir fluência no idioma, opções de intercâmbio com cursos no exterior são capazes de abrir um leque de conhecimento, experiência e cultura. E nunca é tarde para começar. Em Alphaville, agência oferece opção de intercâmbio em família e para pessoas com até 70 anos.
Por Graciela Zabotto / gracielazabotto@webdiario.com.br
Região

Segundo o Dicio (Dicionário Online de Português), a palavra intercâmbio significa“relações (comerciais, culturais, educacionais etc.) que são desenvolvidas de modo recíproco entre nações (ou instituições)”. Mas para quem viveu a experiência de ficar algumas semanas fora de seu país sabe que a definição de intercâmbio vai muito além da definida pelos dicionários.
 
“O maior benefício do intercâmbio não é o inglês ou o idioma que você se propõe a estudar. É você conhecer uma nova cultura. É trabalhar com a diversidade e se superar nos seus desafios diários. É fazer uma viagem e ter que tomar algumas decisões sozinho nesses momentos. É conhecer pessoas do mundo inteiro. Então, acredito que o maior benefício de um intercâmbio é o quanto a gente cresce e o quanto amadurece durante esse período que a gente fica em outro país”, disse Sanrlei Polini. Ela fez o seu primeiro intercâmbio aos 40 anos, quando ficou um mês em Vancouver, no Canadá.

Depois disso, voltou ao Brasil decidida a abrir uma agência de intercâmbio. Foi então que surgiu a possibilidade de abrir, em Alphaville, uma unidade da franquia Travelmate, agência de intercâmbio e turismo para quem deseja estudar e trabalhar no exterior. “Queria justamente trazer para a região essa proposta de intercâmbio. Eu pensei: outras pessoas têm que viver isso que eu vivi. É uma experiência que as pessoas acima de 30 ou 40 anos têm que fazer, independe da profissão”. Segundo ela, uma estimativa aponta que cada um mês que o aluno estuda fora equivale a um módulo de inglês feito no Brasil, duas vezes por semana.
 
Não é possível afirmar qual é o perfil e idade de quem busca um intercâmbio, isso por que as diversas opções de modalidades disponíveis no mercado reflete diretamente no interessado. Para ter uma ideia, a própria Travelmate tem opções para adolescentes a partir dos 12 anos de idade. “Nós temos alguns públicos bem interessantes. Temos os jovens que os pais encaminham para um High School ou para um programa Teen. Temos uma outra opção onde o adolescente pode ficar de seis meses a um ano em outro país cursando o ensino médio. Depois, vamos ter o público mais adulto que trabalha e quer aperfeiçoar o idioma por que está buscando um upgrade no curriculum, ou na carreira e isso vai desde aquele profissional que tem o inglês muito básico como aquele que busca a ascensão profissional. Temos alguns cursos de inglês segmentado como, por exemplo, para a área da saúde, área da construção. Além do jovem que fez a faculdade no Brasil e quer fazer uma pós graduação ou uma MBA fora, para isso a agência faz uma análise de perfil gratuita para tentar entender os melhores destinos, melhores cursos e auxiliar ele na entrada dessas universidades”.
 
Para quem acredita que já é tarde para fazer um intercâmbio, a Travelmate mostra que o universo do intercâmbio é infinito até para quem tem 70 anos. “Temos também alguns cursos de inglês que são para pessoas acima de 40, 50 e 60 anos, ou seja, são programas específicos. Em Vancouver, por exemplo, temos o curso de inglês onde o aluno não estuda só a gramática, ele vai aprender inglês andando pela cidade. Há várias modalidades para essas faixas de idade. Tem aulas específicas para quem quer mais gramática, ou para quem quer mais pronúncia e para quem quer aprender o básico só para viajar”, explicou. De acordo com Sanrlei, a procura ainda é tímida, mas existem muitas possibilidades para esse público. “Intercambio não é só para jovens. Ele vai de 12 anos até 70 anos de idade”, finalizou.
 
Intercâmbio familiar
“A Travelmate também conta com um programa que está tendo muita procura. É o intercâmbio de família. A família procura a gente e apresentamos alguns programas em que os pais e os filhos fazem curso de inglês na mesma escola, mas em turmas separadas, claro, e juntos conseguem também fazer turismo e passear pela cidade. Além disso, está crescendo o número de pessoas que querem morar fora do Brasil. Então, nesse programa, para a família que pensa em migrar para Portugal, EUA, Canadá, por exemplo, as famílias que tem intenção de migrar, por exemplo para o Canadá, oferecemos um programa onde o pai ou a mãe vai fazer uma pós graduação e o cônjuge vai com visto de trabalho e os filhos têm direito a escola gratuita. E nós auxiliamos a família durante todo esse planejamento de buscar uma universidade e da família migrar para esse outro país”, explicou Sanrlei.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style