Domingo, 26 de Maio de 2019

Gastronomia


23/12/2018 - 00:00 - Atualizado em 23/12/2018 - 00:00

Ignoradas nas ceias, as massas podem fazer a diferença na mesa

Por Graciela Zabotto / gracielazabotto@webdiario.com.br
Região

Prato com massa da marca italiana Rana

Prato com massa da marca italiana Rana (Foto: divulgação)
Pratos com massa já são bastante conhecidos da mesa dos brasileiros. Principalmente aos domingos, quando a família se reúne para comer aquela bela macarronada. Mas quando chegam as festas de final de ano elas ficam esquecidas e relegadas. Se pudessem falar, com certeza diriam que após um ano inteiro presente nas reuniões familiares é simplesmente inadmissível serem ignoradas durante as ceias. Sendo assim, abrir espaço na mesa para um prato com massa é uma opção bastante considerável – além de combinar perfeitamente com vinho, uma verdadeira ‘peça’ chave das festas nessa época do ano.
 
Comercializada pela Calimp, empresa com sede em Alphaville, a marca italiana Rana lançou algumas novidades nas linhas de massas frescas, recheadas gourmets, gnocchis e molhos. Com diferentes sabores e várias combinações, elas contam com recheios de carne, ricota e espinafre, tomate e mozzarella, frango e alecrim, quatro queijos, funghi porcini e champignon, gorgonzola, nozes e castanhas, trufa branca, queijo e cogumelos, pato com mini legumes e carne assadas com cogumelos.
 
Para quem não quer fugir da simpatia da moeda embaixo do prato de gnocchi para garantir um novo ano com muita fortuna, o gnocchi de batata da marca é uma praticidade à parte. E não precisar ser nenhuma mamma italiana para preparar aquele prato capaz de agradar até o convidado mais exigente. Nos sabores de tomate e mozzarella, presunto e mozzarella e queijo gorgonzola, a massa pode ser preparada da forma tradicional, cozida em água ou na frigideira. Nessa última opção, o gnocchi fica pronto em até 4 minutos. Sugo fresco com parmigiano reggiano, pesto alla mediterrânea, pesto alla genovese e sugo fresco com funghi porcini são as opções de molho para o toque final do prato.
 
Para harmonizar, a sommelier Sílvia Mascella Rosa, da Vinícola Góes, localizada em São Roque, explicou como fazer para que os sabores da massa e do vinho tenham uma combinação perfeita. Segundo ela, o mais importante é considerar que a massa é um ingrediente neutro, seja ela feita com trigo integral ou trigo branco. Por esse motivo, o molho é o ingrediente que vai determinar a escolha do vinho.
 
Para massas sem recheio, como spagheti, talharine, acompanhadas com molho vermelho, há outras opções que vão além do velho e bom vinho tinto. “Geralmente, escutamos que o molho vermelho deve ser usado com um vinho tinto, mas não necessariamente deve ser assim. Se esse molho de tomate for aquele ao sugo que não tenha excesso de alho e ervas você pode servir com vinho branco chardonnay porque é um vinho mais estruturado”.
 
No caso do molho a bolonhesa e mais denso, a sugestão é um vinho tinto cabernet sauvignon Mas se pegar esse molho de tomate e colocar carnes, transformar em um bolonhesa, numa coisa mais rica e densa daí sim pode pensar num vinho tinto, num cabernet sauvignon, que não seja tão pesado. “Mas é muito importante lembrar que a temperatura no Brasil é muito alta, então pode parar com essa coisa de vinho em temperatura ambiente. Esse tinto pode ser levado para a porta da geladeira, dez ou quinze minutos antes de servir, para dar uma refrescada. Aí sim vai combinar com a massa”.
 
Se a opção for molho branco para massa sem recheio, a sommelier indica servir com um tinto leve, como um merlot, ou com vinho branco. “Por ter mais acidez, o vinho branco tem mais capacidade de limpar o paladar da gordura que tem no molho branco”. “Outra coisa que é extremamente popular nessa época do ano é fazer massa com frutos do mar. Muitas vezes isso é feito apenas com o caldo dos frutos do mar ou com molho leve de tomate bem rústico. Nesse caso pode servir um tinto super leve e refrescado, mas o ideal é usar um espumante rosé ou até mesmo um branco que tenha essa característica herbácia e seja bem aromático como o Lorena, que é da linha Tempos, da própria Vinícola Góes. Ele combina super bem com massas com frutos do mar e que tem toque de ervas”, explicou Silvia.
 
Para as massas recheadas o cuidado é redobrado porque é preciso considerar o recheio e o molho. “Se tiver muito condimento no recheio ou molho escolha um vinho tinto com mais peso. Tem que dar uma ligeira refrescada. Para um canelone com presunto e queijo e molho branco, um brunch espumante ou tinto da uva merlot harmonizam bem.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style