Segunda-Feira, 22 de Julho de 2019

Esportes


07/02/2019 - 00:00 - Atualizado em 07/02/2019 - 00:00

Osasco pega o "freguês" Barueri nesta sexta-feira

Por Da redação / esportes@webdiario.com.br
Osasco

Hoje é dia de clássico regional pela Superliga Feminina de Vôlei.  Osasco e Barueri se enfrentam, às 21h30, no ginásio José Liberatti. E quando se fala em clássico, o que vale é a rivalidade. Barueri luta para por fim à “freguesia”. Será o oitavo duelo entre os dois times nas duas últimas temporadas de torneios nacionais. E Osasco venceu os sete anteriores. Nesta temporada, as comandadas do técnico Luizomar de Moura levaram a melhor sobre o time do treinador José Roberto Guimarães no primeiro turno da Superliga e nas quartas de final da Copa Brasil, ambas as partidas disputadas no ginásio José Correa, em Barueri.

Já no ano passado, foram mais cinco resultados positivos, quatro pela Superliga 2017/18 e um na disputa por um lugar na semifinal da Copa Brasil.  Mesmo com a essa vantagem, Osasco não espera um jogo fácil. “São dois times que se conhecem bem, se enfrentaram várias vezes nas duas últimas temporadas e vamos buscar jogar o nosso melhor vôlei nessa partida, que é um confronto direto na briga pelas primeiras posições na fase de classificação da Superliga”, avalia o técnico Luizomar, referindo-se às posições das equipes na tabela. Embora esteja em 5º lugar, as donas da casa têm um  jogo a menos que o Barueri, que está em 3º. Quem também espera um jogo equilibrado é a ponteira Amanda, do time visitante.

“São equipes que se conhecem bastante. O Osasco-Audax é um time tradicional na Superliga Cimed, tem um elenco com jogadoras experientes e vão jogar em casa. Sabemos que será um jogo duro e estamos trabalhando para fazer uma partida ainda melhor nesse segundo turno”, explicou. Para apimentar ainda mais a noite, estarão frente a frente, em quadra, as duas maiores pontuadoras da atual Superliga.  Pelo Barueri, a oposto polonesa Skowronska lidera as estatísticas da CBV, com média de 5,61 pontos por set. Mas Osasco conta com a norte-americana Destinee Hooker, que atua na mesma posição e está em segundo lugar, com média de 4,37. Tendo o  “canhão polonês” como adversário, Osasco vai apostar em bons saques, para quebrar o passe das rivais.

E, para isso, conta com Mari Paraíba, terceira melhor atleta da Superliga nesse fundamento, com 17 aces na temporada. “É preciso forçar o saque para dificultar o passe do adversário. Quando conseguimos, nossa relação bloqueio e defesa funciona melhor e, consequentemente, temos mais oportunidades de contra-ataques”, analisa.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style