Sexta-Feira, 20 de Setembro de 2019

Animais


15/03/2019 - 00:00 - Atualizado em 15/03/2019 - 00:00

"68 olhares pedindo socorro! 68 motivos para ajudar"

Por Da redação / gracielazabotto@webdiario.com.br
Osasco

"68 olhares pedindo socorro! 68 motivos para ajudar”. É com essa frase que o Projeto Mucky, de Itu, pede ajuda para conseguir manter os 68 filhotes de saguis resgatados de um cativeiro pelas polícias Ambiental e Civil, em Osasco. Em seu perfil no Instagram, a ONG registrou o estado dos animais. “Uma das apreensões mais aterrorizantes e desumanas que já vivenciamos: 68 saguis "encomendados" da Bahia por uma mulher que os vendia  ao preço de R$ 100,00 cada um. Quando o Projeto Mucky recebeu das Polícias Ambiental e Civil (3° DP de Osasco) o pedido de socorro sabíamos que não teríamos fôlego para acolher tantos primatas de uma só vez, mas não havia tempo para pensar, era preciso agir, pois 68 vidas estavam em risco e corríamos contra o tempo”.
 
Segundo eles, a situação na delegacia era pior do que imaginavam. “Ao chegar na delegacia encontramos um cenário de terror e desolação. Todos os macacos eram filhotes com idades que variavam entre 10 dias e 3 meses. O grupo estava dividido em duas caixas minúsculas, completamente imundas e aqueles que ainda tinham alguma energia circulavam num lamaçal de fezes, urina e comida estragada.Por entre as frestas dos caixotes os olhares assustados pediam socorro e expressavam a dor de não entenderem por que estavam ali. Os macacos estavam molhados, sujos, famintos e sedentos. Um a um, começamos a retirá-los das caixas e prestar os primeiros socorros. Todos os 68 bebês receberam alimentação, soro e foram transferidos para recintos secos, limpos e aquecidos, uma operação que mobilizou cerca de dez pessoas e durou cinco horas até que todos os primatas fossem socorridos”. 

“Os 68 saguis precisam de tratamento contínuo. O peso máximo deles é de 20 a 80 gramas. Eles precisam ser amamentados a cada duas horas ou duas horas e meia e a cada vez que isso acontece são necessárias de 6 a 7 pessoas ", completou a ambientalista, fundadora e coordenadora Livia Botar, em entrevista ao Portal G1. A entidade precisa de parceria com outras ONGs ou associações que possam receber pequenos grupos de saguis e apoio financeiro. Além disso, pede a mobilização da sociedade para que os crimes sejam punidos com mais rigor. “Precisamos de extrema urgência: apoio financeiro para contratação emergencial de mais cinco cuidadores para reforçar nossa equipe; parceiros (ONGs e Associações) que possam receber pequenos grupos de saguis, sob nosso acompanhamento e orientação técnica; e mobilização contínua da sociedade para que esses crimes passem a ser punidos com rigor. Pasmem: a mulher apenas assinou um termo circunstanciado e já está livre”, finalizou no Instagram. Três pessoas foram autuadas no cativeiro, onde também estavam mais de 100 aves silvestres, e receberam multa de R$2 milhões. Mas vão responder ao processo em liberdade.  Informações sobre como ajudar podem ser obtidas no site www.projetomucky.org.br

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style