Sexta-Feira, 19 de Julho de 2019

Polícia

09/04/2019 - 00:00 - Atualizado em 09/04/2019 - 00:00

Quadrilha da região comandava roubos milionários de cargas

Considerados extremamente violentos pela polícia, os "chefões" do bando, que roubava cargas de eletroeletrônicos avaliadas em mais de R$2 milhões, foram presos nesta terça-feira, durante Operação Tela Quente, que cumpriu mandatos em 7 cidades da região. Agora, polícia quer descobrir os compradores
Por Erica Celestini e Maranhão / policia@webdiario.com.br
Região

Uma quadrilha com ramificações em 7 cidades da região Oeste e que era especializada em roubos de carga milionárias teve três de seus “chefões” presos, nesta terça-feira, durante a operação “Tela Quente”. O bando é considerado “extremamente violento” pela polícia e age nas estradas de São Paulo e Minas gerais. Os alvos eram sempre cargas de eletroeletrônicos, avaliadas em mais de R$2 milhões. Após três meses de investigações, policiais do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) tiveram a informação de que um caminhão que sairia nesta terça-feira de Barueri, rumo ao Interior, seria atacado  e decidiram deflagrar a operação para interceptar a quadrilha.

Foram pesos, em flagrante 3 “chefões” da quadrilha: Fernando Gusmão, Rodrigo Gusmão e Alessandro Pinto da Cruz.  Ao todo, a operação envolveu 174 policiais no cumprimento de 10 mandados de prisão e 13 de busca e apreensão nas cidades de Osasco, Carapicuíba, Barueri, Jandira, Itapevi, Santana de Parnaíba e Pirapora do Bom Jesus.  Houve ainda bloqueios na praça de pedágio de Barueri e Itapevi da rodovia Castelo Branco. Durante os mandados de busca e apreensão, os policiais encontraram televisores roubados, com valores entre R$10 mil e RR15 mil,  nas casas de parentes dos ladrões.

Eles costumavam “presentear” familiares com parte das cargas roubadas. Um desses televisores é produto de um latrocínio, em Minas Gerais, que vitimou um sargento da PM no final do ano passado. Segundo a polícia, esse é um exemplo de como a quadrilha agia, entrando em confronto em caso de interceptação. Os demais membros foram identificados e agora as investigações prosseguem também para descobrir quem são os compradores dessas cargas. De acordo com a polícia, são suspeitos comerciantes “bem sucedidos” e que usam suas empresas de fachada para comprar as cargas roubadas.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style