Quarta-Feira, 24 de Abril de 2019

Cotidiano


11/04/2019 - 00:00 - Atualizado em 11/04/2019 - 00:00

Combustível e alimentos puxam alta da inflação

Por Da redação / cotidiano@webdiario.com.br
Osasco

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, ficou em 0,75% em março, acima dos 0,43% de fevereiro. Este foi a 4ª alta seguida e maior taxa para um mês de março desde março de 2015, quando o índice foi de 1,32%. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A alta foi puxada principalmente pelos combustíveis e alimentos. De acordo com o levantamento, os preços dos alimentos e bebidas subiram 1,34%. Já os transportes ficaram 1,44% mais caros. Juntos, estes dois grupos representam cerca de 43% das despesas das famílias.

Já individualmente, o maior impacto no índice partiu da gasolina, que teve variação de 2,88%. Outro item que sofreu alta significativa em março foi a passagem aérea, cuja variação foi de 7,29%. Mas essa alta veio após uma queda de 16,65% observada em fevereiro. Na alimentação, os principais vilões da inflação em março foram o tomate, cujos preços médios tiveram alta de 31,84% no mês na comparação com fevereiro, seguido da batata-inglesa, com alta de 21,11%, e dos feijões carioca e preto, que aumentaram, respectivamente, em 12,93% e 12,55%. Já as frutas subiram 4,26%.

Somente o feijão-carioca acumula no primeiro trimestre deste ano uma alta de 105%. Em 12 meses, a alta chega a 135,04%. O IPCA mede a inflação para as famílias com rendimentos mensais entre um e 40 salários mínimos, que vivem em dez regiões metropolitanas do país. Em São Paulo, o índice foi de 0,78% em março.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style