Sexta-Feira, 20 de Setembro de 2019

Cotidiano


11/06/2019 - 00:00

Metrô, trens e ônibus confirmam adesão à greve geral sexta-feira

Paralisação em protesto contra o projeto de reforma da Previdência também conta com adesão de professores, bancários, comerciários e metalúrgicos, que farão ato às 9hs, no Largo de Osasco
Por Da redação

Metroviários também prometem cruzar os braços

Metroviários também prometem cruzar os braços (Foto: divulgação)
Os trabalhadores do Metrô e da CPTM  e os motoritas de ônibus confirmaram adesão à greve geral, marcada para esta sexta-feira, dia 14. O movimento está sendo organizado por sindicatos de trabalhadores, em protesto contra a Reforma da Previdência, do governo federal.

Dentre os pontos criticados pelas entidades estão a obrigatoriedade de idade mínima de 65 anos para homens e de 62 para mulheres; aumento do tempo mínimo de contribuição de 15 anos para 20 anos e a extinção do cálculo para chegar ao benefício baseado nos 80% dos maiores salários, entre outros.

Na região Oeste, os motoristas de ônibus stão entre os que vão cruzar os braços, em todas as cidades. Já nos trens, o sindicato que representa os trabalhadores das linhas 8 (Itapevi-Júliio Prestes) e 9 (Osasco-Grajaú) não realizou assembleia para definir adesão, mas divulgou nota em que afirma concordar com "grande parte das reinvidicações e que "ninguém será impedido" de aderir à paralisação.

Com isso, as duas categorias engrossam lista que já inclui bancários, metalúrgicos, professores, bancários, metalúrgicos,  comerciários, químicos, motoboys, petroleiros e professores de toda a região, além de  movimentos sociais, como o Povo Sem Medo. Eles vão se reunir em ato marcado para as 9 horas, no Largo de Osasco. 

“Intensificamos a mobilização dos trabalhadores nas fábricas, diariamente realizamos assembleias e distribuímos materiais que mostram as consequências da reforma da Previdência para todos os brasileiros”, explica o secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, Gilberto Almazan.


Este ano, o sindicato dos Metalúrgicos também já participou da Greve Nacional da Educação, que teve atos em Osasco e na Avenida Paulista, em 15 de maio, e no Largo da Batata, em 30 de maio, contra os cortes promovidos pelo governo federal no setor. Além disso, realiza nas portas das fábricas coletas de  assinaturas para o abaixo-assinado contra a reforma da Previdência.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style