Sexta-Feira, 20 de Setembro de 2019

Política


11/06/2019 - 00:00 - Atualizado em 11/06/2019 - 00:00

'Ou me para na bala, ou vai ter que me engolir', dispara vereador Carlinhos do Açougue na Câmara

Descontente e se sentindo excluído pela administração municipal, vereador de Barueri soltou o verbo na tribuna da Câmara Municipal. Ele disse ainda que o prefeito lhe deve uns cargos. Antes de encerrar sua fala, disse que não tem medo "de dar tiro em gente ruim"
Por Júlio Rezende / politica@webdiario.com.br
Osasco

Vereador de Barueri, Carlinhos do Açougue (Dem)

Vereador de Barueri, Carlinhos do Açougue (Dem) (Foto: Divulgação)
Com essas palavras, o vereador de Barueri, Carlinhos do Açougue (Dem) desabafou durante a sua participação na sessão ordinária da Câmara Municipal, nesta terça-feira, afirmando que está se sentindo excluído da administração municipal. Segundo o parlamentar, ele enfrenta esse desconforto desde que deixou a presidência da Casa, em dezembro de 2018. “Hoje me encontro numa situação muito difícil, mas essa situação só me fortalece e me estimula a continuar trabalhando pela população de Barueri. Muitas coisas ruins aconteceram comigo e continuo aqui forte”, comentou Carlinhos.

De acordo com ele, o fato de se sentir politicamente isolado não o demove de suas obrigações com a cidade. “Ainda não sei o porquê estão de estarem me excluindo dessa administração. O próprio prefeito ainda não cumpriu o compromisso comigo com alguns cargos na administração. Não gosto que fiquem me enrolando como boneca em colo de criança, mas não tenho sentimento de vingança por ninguém e, um dia, a verdade aparecerá. Um dia, ou eu ou alguém muito ligado a mim irá governar essa cidade e poderemos mostrar o que é compromisso assumido. Ou me para na bala, ou vai ter que me engolir”, disse.

Ao encerrar sua fala na tribuna, o vereador ainda disse que não tem medo “de dar tiro em gente ruim e de correr atrás do que deseja muito”.  No desabafo de Carlinhos, sobraram críticas até para o presidente da Câmara, vereador Fabião. Para ele, a contratação de veículos oficiais para uso dos vereadores será um desperdício do dinheiro público. “Nunca utilizei e não será agora que usarei carros oficiais da Câmara. Todas as distâncias que percorro dentro de Barueri são muito pequenas, para que a população pague por isso. Os trechos entre a Câmara e os órgãos da prefeitura não ultrapassam dois mil metros. Isso é muito pouco. Vou continuar utilizando meu carro particular mesmo”, finalizou o parlamentar.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style