Quinta-Feira, 18 de Julho de 2019

Política


11/07/2019 - 00:00 - Atualizado em 11/07/2019 - 00:00

Procuradoria da Mulher na Câmara de Osasco já tem linha telefônica exclusiva

Toda mulher ou criança vítimas de violência doméstica agora pode ligar para o número 3699-9154. A linha direta foi instalada no gabinete da vereadora Ana Paula Rossi e garante sigilo absoluto
Por Juliana Oliveira / politica@webdiario.com.br
Osasco

vereadora Ana Paula Rossi

vereadora Ana Paula Rossi (Foto: Marcelo Deck)
Quarenta dias após sua reativação, a Procuradoria Especial da Mulher da Câmara de Osasco ganha uma linha telefônica exclusiva para atendimento. O telefone para quem quiser fazer denúncias ou obter informações sobre como proceder em caso de violência doméstica é o 3699-9154.  Até a semana passada, quem procurava o serviço precisava ligar para o PABX da Câmara e solicitar à telefonista a transferência para o gabinete da vereadora Ana Paula Rossi (PL), procuradora titular. Agora, além de mulheres e crianças vítimas de violência doméstica terem a opção de procurar atendimento pessoalmente, na sala 15, no 3º andar da Câmara, também podem ligar diretamente e receber atendimento exclusivo. 

“O atendimento é feito por mim ou pelas procuradoras adjuntas: a vereadora Lúcia da Saúde e Angelita Olivetti, advogada que ocupa o cargo de Supervisora de Licitações e Contratos na Câmara Municipal”, explicou Ana Paula. Segundo ela, com o número direto, as vítimas terão mais segurança e conforto de ligar para o serviço. “Muitas têm reservas e medo de procurar ajuda”, frisou. A vereadora lembra ainda que a Procuradoria funciona normalmente no período de recesso parlamentar. O órgão foi retomado, no final de maio desse ano, por decisão do vereador Ribamar Silva (Sem Partido), presidente do Legislativo.

Na ocasião, para não trazer custo adicional, a vereadora optou por ceder seu gabinete para o atendimento. Para Ribamar, com a retomada do serviço, sem custo adicional para a Casa, a população tem um canal direto com as procuradoras para denunciar casos de abusos e violência doméstica, pedir ajuda e principalmente para receber o devido acolhimento. Ele também ressaltou a importância da linha telefônica direta. “Com isso, asseguramos anonimato das vítimas ou de quem denuncia. A Procuradoria está preparada para dar as mulheres e crianças vítimas de violência o apoio necessário em momentos de dor”, destacou.



Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style