Sexta-Feira, 18 de Outubro de 2019

Política


09/10/2019 - 00:00 - Atualizado em 09/10/2019 - 00:00

Reestruturação que corta 22% dos cargos da Habitação é adiada

Por Juliana Oliveira / politica@webdiario.com.br
Osasco

Reestruturação que corta 22%  dos cargos da Habitação é adiada

Reestruturação que corta 22% dos cargos da Habitação é adiada (Foto: Divulgação)
Estava previsto para ser votado na sessão desta terça-feira, 8, o projeto de lei complementar, de autoria do prefeito Rogério Lins (Podemos), que prevê a reestruturação da Secretaria da Habitação e Desenvolvimento Urbano, mas um pedido de vistas do vereador Ralfi Silva (Podemos), que também é integrante da Comissão de Constituição e Justiça, adiou a votação por dois dias. Isso frustrou as expectativas dos servidores da pasta que lotaram as galerias da Casa para acompanhar as discussões.

As mudanças propostas incluem a criação e extinção de cargos, ajustes de suas competências e estruturas administrativas, atendem à ADIN (Ação Direta de Inconstitucionalidade) que questiona leis de 2011 e 2012 que criaram algumas secretarias. Na prática haverá o corte de 22% dos cargos da pasta, o que somam 86 pessoas.

Ainda de acordo com o texto, com a modernização e ajustes necessários a Secretaria da Habitação trará uma economia de R$ 28 mil mensais aos cofres públicos, o que representa 0,81% sobre o total previsto da folha de pagamento no exercício, “estando alinhada às diretrizes orçamentárias para 2019 e 2020 e ao Plano Plurianual vigente”.

Na justificativa, o prefeito Rogério Lins considerou a diretriz governamental como uma forma de “melhorar o custo benefício e promover o enxugamento da estrutura organizacional, sem comprometer a efetividade dos resultados e a excelência dos serviços públicos da área”.  Ele ainda afirmou que, com o novo formato, será priorizada “a ocupação daqueles que sobraram por servidores efetivos”.
 

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style