Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019

Polícia

06/11/2019 - 00:00 - Atualizado em 06/11/2019 - 00:00

Polícia prende e Justiça solta suspeito de 6 roubos em Osasco

Por Erica Celestini e Maranhão policia@webdiario.com.br
Osasco

Dentre os alvos do ladrão está uma farmácia

Dentre os alvos do ladrão está uma farmácia (Foto: divulgação)
“Preso” e quase linchado por moradores, detido oficialmente pela polícia e liberado pela Justiça após audiência de custódia. Essa foi a trajetória de um assaltante que vinha da Zona Leste de São Paulo, em seu próprio carro, para cometer roubos a estabelecimentos comerciais em Osasco. Ele foi reconhecido, pelas vítimas, como autor de 6 assaltos – a um açougue, uma farmácia, uma sorveteria, uma loja de roupas e dois mercados de pequeno porte – na região dos bairros do Jardim Cipava – incluindo a avenida Antônio C.

Costa - Jaguaribe e Vila Yolanda. Em todos os casos, agia da mesma forma. Entrava com se fosse um consumidor, escolhia um produto, no caixa, levantava a camiseta e mostrava a arma na cintura, anunciando o assalto. Após pegar o dinheiro, saia andando calmamente. Uma das testemunhas o viu entrar e um veículo Clio, estacionado em rua próxima. Foi no último assalto, a um mercado, que ele acabou detido. O estabelecimento tinha seguranças, que foram acionados pela caixa após o roubo.

Eles o perseguiram e detiveram na rua, descobrindo que a arma era de brinquedo, quando outras pessoas se aglomeraram e começaram agredir o suspeito. Uma equipe da PM chegou e levou o assaltante ao 8º DP, onde o crime foi registrado. Outras vítimas, sabendo do caso, foram até a delegacia e o reconheceram.

Mas, enquanto ainda registravam os crimes, houve a audiência de custódia envolvendo o roubo ao mercado. E como o suspeito alegou à Justiça que tinha endereço fixo e também um trabalho como “estagiário”, na área de representação comercial, foi lberado para responder ao processo em liberdade. Essa versão foi bem diferente da contada aos policiais.

O suspeito afirmou que era pastor, tinha acabado de se divorciar e que passou para o mundo do crime porque estava enfrentando dificuldades, incluindo tendo que “morar” no próprio bairro. A polícia pede que vítimas de crimes semelhantes procurem o 8º DP para registrar os roubos. As investigações continuam e podem levar a um pedido de prisão preventiva, devido ao maior número de crimes.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style