Domingo, 08 de Dezembro de 2019

Polícia

11/11/2019 - 00:00 - Atualizado em 11/11/2019 - 00:00

Cidades da região Oeste já somam sete casos de feminicídio desde o início deste ano

Crime mais recente aconteceu em Osasco, na madrugada de domingo. Moradora do Santa Fé foi morta por companheiro com um tiro na cabeça. Mas lista inclui assassinadas a facadas ou estrangulamento por maridos ou ex em casos que envolvem desde ciúme até inconformismo com término. Há também caso de assassinato pelo patrão e até por homem que não gostou de ser confrontado em bar, além de corpos encontrados sem sinais de roubo
Por Erica Celestini/cotidiano@webdiario.com.br
Osasco

Ele ainda tentou forjar que ela havia se suicidado e fugiu. Caso aconteceu no Jardim Santa Fé, em Osasco, e foi o 7º feminicídio registrado na região somente neste ano

Ele ainda tentou forjar que ela havia se suicidado e fugiu. Caso aconteceu no Jardim Santa Fé, em Osasco, e foi o 7º feminicídio registrado na região somente neste ano (Foto: Divulgação)
Desde o início do, 7 mulheres foram vítimas de feminicídio na região. Muita gente confunde, achando que, para o crime ser enquadrado nessa tipificação, basta que a vítima seja mulher. Mas o feminicídio é o assassinato cometido por violência doméstica ou por discriminação de gênero. Por isso, na maioria dos casos, são praticados por maridos, namorados e ex-companheiros das vítimas. O balanço foi feito pelo Diário da Região com base em reportagens, já que não há estatísticas sobre o tema.

O caso mais recente aconteceu na madrugada desde domingo no Jardim Santa Fé, em Osasco. Uma mulher de 19 anos, identificada como Stephanie, foi morta pelo companheiro com um tiro na cabeça. Policiais Militares foram acionados para atender ocorrência de disparo de arma de fogo. Uma testemunha afirmou ter ouvido gritos do companheiro dizendo que ela havia tentado se matar com um tiro na cabeça. Depois, ele fugiu.  A moça foi levada à UPA da Vila Menck, mas não resistiu aos ferimentos.

A perícia verificou que  não havia nenhum projétil na lateral da cabeça da vítima, o que enfraquece a hipótese de suicídio. O agressor, de 21 anos,  era foragido da Justiça e tinha três mandados de prisão em seu nome, por crimes  em Ceilândia, no Distrito Federal, incluindo uma condenação a 15 anos, todos por roubo. Assim como Stephanie, outras 6 mulheres perderam a vida por agressão desde janeiro.

Em Barueri, em outubro, Maria Salvadora foi morta a socos, após um discussão em um bar, por um homem que não gostou de ser repreendido por estar  falando palavrões.  Em Pirapora do Bom Jesus, no fim de semana do Dia das Mães, Rosmeira foi morta a facadas pelo ex-marido, porque ele não se conformava como fim do relacionamento.  Em Santana de Parnaíba, em setembro deste ano, a faxineira Miriãm também foi morta a facadas, mas pelo patrão, ao cobrar uma faxina não paga.

No mesmo mês, em Jandira, Marisa foi estrangulada, pelo namorado, por ciúme. E ainda teve seu corpo jogado em um córrego.  E há ainda  vítimas anônimas. Em Itapevi e Jandira, corpos de mulheres foram encontrados seminus e com sinais de violência sexual. Nas duas ocorrências, nada foi levado, o que descarta a possibilidade de assaltos.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style