Sexta-Feira, 13 de Dezembro de 2019

Política


28/11/2019 - 00:00 - Atualizado em 28/11/2019 - 00:00

Bilhete Único de Osasco passa em segunda votação pela Câmara e segue para sanção de Lins

Aval do prefeito e publicação na Imprensa Oficial são os últimos passo para integração entrar em vigor. Projeto permite aos usuários fazer duas viagens, em uma hora, pagando uma passagem. Emenda que amplia esse prazo para uma hora e meia, de autoria do vereador Ni da Pizzaria, também foi aprovada, mas pode ser vetada por Lins
Por Juliana Oliveira/politica@webdiario.com.br
Osasco

Câmara Municipal aprovou, na sessão desta quinta, projeto de lei que cria integração tarifária

Câmara Municipal aprovou, na sessão desta quinta, projeto de lei que cria integração tarifária (Foto: Divulgação)
O projeto de lei, de autoria do Executivo, que cria regras para implantação do Bilhete Único em Osasco foi aprovado em segunda votação, na sessão desta quinta-feira, da Câmara Municipal. Com isso, segue agora para  sanção do prefeito Rogério Lins.  Assim que a sanção for publicada na Imprensa Oficial, o sistema de integração começa a valer no transporte público municipal. Ele permite que os passageiros façam duas viagens, no prazo de uma hora, pagando apenas uma passagem.

Desde que anunciou o projeto, Lins vinha sinalizado a intenção de colocá-lo em prática a partir de 1º de dezembro. Para que esse prazo seja cumprido, a sanção teria que acontecer até esta sexta-feira. Nesta quinta-feira, a proposta foi aprovada já com as três emendas apresentadas em primeira discussão, na sessão de terça-feira. Mas Lins pode vetá-las total ou integralmente. Uma delas, do vereador Ni da Pizzaria (Podemos), amplia o prazo de integração para uma hora e meia.

Já a segunda, da Comissão de Obras, prevê a recarga do Cartão Bom – que será usado para pagar a tarifa – também em bancas de jornal e pela Internet. A terceira emenda corrige aspectos de redação do texto. Ainda de acordo com o projeto, a prefeitura vai pagar um subsídio de R$10 milhões às empresas de ônibus para garantir a integração tarifária.

Além da possibilidade de fazer duas viagens, em um prazo de uma hora e meia, pagando apenas uma tarifa, o projeto também prevê que aos domingos e feriados o tempo permitido para a integração tarifária será de duas horas. O texto não cita integração com trem e metrô. Essa adoção, que depende de acordo com o governo do Estado, ficaria para uma segunda etapa. As viagens e o tempo de deslocamento serão registradas e controladas pelo sistema de bilhete eletrônico. Não será permitida a utilização da segunda viagem na mesma linha ou ônibus em que foi realizada a primeira.

Newsletter
Conteúdo exclusivo para você
Capa do Dia
Vip Style