Terça-Feira, 07 de Julho de 2020

Política


20/03/2020 - 00:00 - Atualizado em 20/03/2020 - 00:00

"Você vive com uma agonia miserável", relata Ataíde Teruel

Deputado estadual é o 1º caso confirmado de coronavírus em Osasco. Em entrevista ao Diário, ele fala sobre rotina na quarentena, seus medos e a fé. "Estou superando. Vou sair dessa"
Por Graciela Zabotto/politica@webdiario.com.br
Osasco

"Café da manhã tomo sozinho no meu quarto. Minha esposa traz o almoço e o jantar e deixa na porta"

"Café da manhã tomo sozinho no meu quarto. Minha esposa traz o almoço e o jantar e deixa na porta" (Foto: Divulgação)
Nesta semana, o deputado estadual Ataíde Teruel (Podemos) anunciou que está com o Covid-19, conhecido como coronavírus. Em entrevista exclusiva ao Diário da Região, o parlamentar, que é morador de Osasco, contou sobre sua rotina de isolamento domiciliar. “Eu estou morando em um quarto da casa. Café da manhã tomo sozinho no meu quarto. Minha esposa traz o almoço e o jantar e deixa na porta. Acabo me alimentando no quarto e vamos tocando a vida assim, com o mínimo de contato possível”.

Ataíde, que mora com a esposa e a filha de 20 anos, orientou a tomar todas as precauções. “Quando preciso sair do quarto nós três usamos máscaras, evitamos ao máximo qualquer tipo de contato. Não passamos perto um do outro”. Por orientação médica, o deputado deve ficar em quarentena por mais uma semana. Ataíde contou que foi infectado por dois tipos de vírus do COVID-19, um mais forte e outro mais fraco.

“O vírus é realmente violento. Agora estou me sentindo melhor, embora ainda permaneça alguns sintomas. Ainda sinto, às vezes, uma leve dor de cabeça, rouquidão, a garganta um pouco inflamada e um pouco de tosse”. Não há como saber quando foi infectado pelo vírus, mas o deputado acredita que tenha sido contaminado por um visitante com gripe em seu gabinete, na Assembleia Legislativa de São Paulo, embora ele tenha mantido distanciamento.

“Eu o recebi na quarta-feira. Na quinta e sexta-feira senti a garganta inflamada e um pouco de tosse. No sábado pela manhã sentia meu corpo fraco e estava com febre. Fui até o hospital e pedi para fazer todos os exames possíveis. Saí de lá às 17 horas, sem o resultado”. Ataíde recebeu a confirmação na segunda-feira, às 17 horas. Foram 48 horas de preocupação e medo.

“Até saber do resultado você vive com uma agonia miserável, torcendo para não ter o que você imagina que seja, mas os sintomas não passam. Minha preocupação foi comunicar o resultado para minha esposa e minha filha. Eu cai em desespero porque perdi o chão. Acho que fiquei duas horas chorando porque eu não sabia o que fazer. A partir daí, o que domina você é o medo. Você não sabe qual é a reação da doença. Ela pode mudar a cada minuto e pode te dar problemas à noite. Pode amanhecer pior do que estava. Você vive com ela e o medo não te abandona. Essa é a pior situação. Mas graças a Deus estou superando e acho que vou sair dessa numa boa”.

Durante essas 48 horas que viveu na incerteza se estava ou não com o coronavírus, Ataíde orientou a família a tomar as devidas precauções. “Isso foi fundamental porque conseguimos atravessar sem grandes problemas. Agradeço muito a Deus”. Segundo ele, até o momento, a esposa e filha não apresentaram nenhum sintoma da doença e não houve necessidade de fazer exames. Ataíde Teruel finalizou dizendo que as pessoas que estão com o vírus precisam ter muita paciência.

“Sei que a maioria está com um medo terrível, mas tem que superar o medo e ter paciência. Não tem remédio para isso, é só o tempo, e isso passa em duas semanas. É preciso encarar com muita responsabilidade e tomar cuidado, não fazer contato com outras pessoas e proteger a família”. No momento de medo e angústia, a fé, que já caminha com Teruel, se manifesta cada vez mais forte.

“Tenho recebido muitas mensagens e ligações e isso me tirou um pouco do sufoco porque você está desesperado e conforme a mensagem que recebe ela entra na tua mente e te revitaliza um pouco. Serei um devedor eterno dos meus amigos. Eu rezo todos os dias. Mas vai dar tudo certo. Confio em Deus e em Nossa Senhora Aparecida”.