Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020

Cotidiano


25/03/2020 - 00:00

"Reforço o pedido para que fiquem em casa", afirma prefeito Rogério Lins

Sem citar o presidente Jair Bolsonaro, que pediu abertura de comércio e escolas, prefeito afirmou que continuará seguindo "orientações técnicas" sobre isolamento social. Em 24 horas, casos de coronavírus na cidade passaram de 7 para 11. Lins também negou óbito pela doença na cidade. Segundo ele, idoso apontado pela Secretaria Estadual da Saúde não era morador da cidade e nem foi atendido aqui. "Lamentamos qualquer óbito, mas neste caso o filho dele é morador de Osasco e houve um equívoco porque são homônimos", explicou
Por Erica Celestini/cotidiano@webdiario.com.br
OSASCO

Prefeito pediu que pessoas continuem em casa

Prefeito pediu que pessoas continuem em casa (Foto: divulgação)
Um dos primeiros prefeitos do País a determinar o fechamento total do comércio “não essencial” – medida que está em vigor no último sábado – como forma de combater a transmissão do novo coronvaírus (Covid-19), Rogério Lins reforçou pedido para que a população de Osasco mantenha reclusão social.

Sem citar pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro, que na noite de terça-feira defendeu a reabertura do comércio e das escolas, criticando governadores e prefeitos que adotaram a medida e os acusando de estar agindo politicamente, Lins afirmou que, em Osasco, as decisões continuarão seguindo orientações técnicas e que vai manter a reclusão social “como forma de preservar vidas”.

“Reforço o pedido para que fiquem em casa. Façam isso pelos profissionais de saúde, que estão na linha de frente do combate à doença, pelos garis que estão limpando a cidade, pelos funcionários da construção civil que estão trabalhando na adequação de nossas unidades de saúde. Enfim, faça isso pela sua vida, pela vida das pessoas que você ama e, principalmente, por nossos idosos”, destacou, referindo-se ao principal grupo de risco para agravamento da doença.

“Me entristece muito ver pessoas fazendo uso político desse momento. Tem que que torce pelo quanto pior, melhor”, completou.

O pronunciamento foi feito pelas redes sociais. Lins também afirmou que, em 24 horas, o número de casos confirmados da doença passou de 7 para 11 na cidade. Além disso, são 501 suspeitos. E destacou que não há óbito causado pela doença em Osasco. “O caso, que chegou a ser divulgado pela imprensa, envolve um senhor de 79 anos que não é morador de Osasco e nem foi atendido aqui. Ele estava em um hospital particular, na Capital. Mas o filho dele, que é morador de Osasco, tem o mesmo nome e, como preencheu a ficha cadastral, houve um engano. Mas é claro que essa é uma notícia muito triste. Lamentamos qualquer óbito”, completou.

Ainda segundo Lins, a prefeitura vai manter a divulgação de boletins diários com o número de casos da doença e informar, inclusive, se houver óbitos na cidade.

Vip Style