Domingo, 09 de Agosto de 2020

Cotidiano


31/07/2020 - 00:00 - Atualizado em 31/07/2020 - 00:00

Centro de Tratamento de Barueri vai receber do rio Pinheiros 2,8 mil litros de esgoto por segundo

Por Da redação / cotidiano@webdiario.com.br
Barueri

Durante coletiva de imprensa realizada pelo governador João Doria, nesta sexta-feira (31), o presidente da Sabesp Benetido Braga afirmou que o projeto de despoluição do rio Pinheiros segue "de vento em popa". "Em 2022 teremos um rio Pinheiros limpo", garantiu Doria.
 
Conforme Braga, 2,8 mil litros de esgoto por segundo serão destinados para a Estação de Tratamento de Esgoto de Barueri. Hoje, os dejetos são despejados no rio por córregos afluentes."Com isso, cerca de 3,3 milhões de pessoas que vivem nessa bacia hidrográfica serão beneficiadas", completou.

Projeto de despoluição

Com investimento total estimado em R$ 1,7 bilhão, essas obras são realizadas nas sub-bacias do Pinheiros, como Aterrado/Zavuvus, Ponte Baixa/Socorro e Coruja/Rebouças. Dessa forma, evita-se que o esgoto caia diretamente nos córregos que deságuam no Pinheiros, contribuindo diretamente para sua despoluição. Alguns pontos já apresentam melhoria da qualidade da água, a exemplo do córrego Zavuvus e do córrego do Vale do Ribeira, afluente do Ponte Baixa, cujo índice de poluição caiu 86%. Até o momento, foram realizadas cerca de 30 mil ligações para coleta e tratamento de esgoto.
 
A infraestrutura de saneamento forma um dos eixos do Novo Rio Pinheiros, coordenado pela Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente e que contempla ainda ações de desassoreamento e aprofundamento do rio, coleta e destinação dos resíduos sólidos, revitalização das margens e educação ambiental. 
 
Dentro do Novo Rio Pinheiros, todos os 16 contratos sob responsabilidade da Sabesp para ampliar rede de coleta e tratamento de esgoto já foram assinados e estão em execução. O próximo passo será a contratação de unidades de recuperação da qualidade da água de córregos, chamadas de URQs, que serão implantadas para tratar o esgoto de áreas informais, onde a ocupação não deixou espaço para a instalação de infraestrutura de coleta. 
 
Por se tratar de um programa essencial para a melhoria da qualidade de vida da população, as obras e demais ações da Sabesp não foram paralisadas durante a quarentena pela pandemia da Covid-19 e têm contribuído para a geração de emprego num momento em que vários setores da economia sofrem os efeitos da crise. A estimativa é gerar, no total, 4,1 mil postos de trabalho em todas as intervenções da Sabesp dentro do Novo Rio Pinheiros.