Barueri prorroga vacinação contra gripe e sarampo

 Barueri prorroga vacinação contra gripe e sarampo

Divulgação

Os baixos índices da cobertura vacinal contra o sarampo e influenza levaram o Ministério da Saúde a prorrogar o prazo de vacinação, além de determinar uma série de iniciativas com o objetivo de aumentar o número de pessoas imunizadas. Assim, os grupos prioritários que ainda não tomaram suas doses podem receber o imunizante até o dia 24 de junho nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Barueri. Os endereços e horários de atendimento podem ser conferidos no site portal.barueri.sp.gov.br/cidadao/saude/rede-municipal-saude

O público-alvo para imunização contra o Sarampo são as crianças menores de cinco anos (quatro anos, onze meses e 29 dias) e os trabalhadores da área da Saúde. Em Barueri foram aplicadas 8.968 doses contra o sarampo, o que representa 44% da meta de imunizar 20.609 pessoas. Índice um pouco superior ao registrado na média nacional desta 8ª Campanha Nacional de Seguimento e Vacinação de Trabalhadores da Saúde contra o Sarampo, que ficou em 31,3%.

No caso da gripe, o imunizante é disponibilizado para um público-alvo dos idosos com mais de 60 anos e trabalhadores da área da saúde, crianças de seis meses a menores de cinco anos (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas, indígenas, quilombolas, professores, pessoas com deficiência, caminhoneiros, trabalhadores do transporte, forças de segurança, entre outros.

Para a vacinação contra a gripe na cidade, da meta de imunizar 68.008 pessoas resultou uma aplicação de 38.554 doses, o que corresponde a 56,69% da meta original. Um percentual um pouco melhor se comparado aos números da média no Brasil desta 24ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, que foi de 44%. Mas ainda aquém do preconizado pelo Ministério da Saúde, que é de 90% de cobertura em relação ao público-alvo. Confira na tabela abaixo o total da imunização contra a Influenza.

O diretor da Vigilância em Saúde de Barueri, Rafael Adão Buozo, alerta para a importância da vacinação. “Para que as imunizações sejam eficazes, é necessário que as pessoas tomem sempre as doses preconizadas. Com novos vírus e bactérias surgindo a cada ano, as vacinas têm se tornado fundamentais no combate das doenças. Quem não se vacina, não coloca apenas a própria vida em risco, mas também a de seus familiares e outras pessoas queridas com quem tenham contato, aumentando também a circulação das doenças”, alerta.

Da Redação