Casos de estupro têm queda de 34% em Osasco

 Casos de estupro têm queda de 34% em Osasco

Divulgação

A Frente Parlamentar da Segurança Pública realizou, na segunda-feira, 22, na Câmara Municipal de Osasco, uma reunião com autoridades das forças de segurança do município para debater políticas públicas direcionadas ao aumento da segurança no município.

 

Na oportunidade, a tenente-coronel Eunice Rosa Godinho, comandante do 14º Batalhão da PM de Osasco, comentou que os indicadores de criminalidade em Osasco, se comparados a 2019, apresentam redução significativa.

 

“Os anos mais complicados da pandemia, que são 2020 e 2021, foram atípicos, mas, mesmo assim apresentaram redução. Se comparamos esse período em 2019 e 2022, a redução é significativa em termo de média”, comentou a comandante.

 

De acordo com dados apresentados por Eunice Godinho, houve redução de 34% nos indicadores de estupros, 29% em homicídios dolosos e 21% nos casos de furtos de veículos.

 

“A participação da população é fundamental para que possamos ser ainda mais efetivos no combate à criminalidade. Se as pessoas registrarem através do 190, online nos canais da PM, através dos grupos do Programa de Vizinhança Solidária, podemos traçar estratégias ainda mais eficientes”, ressaltou a comandante ao declarar que para combater a criminalidade é preciso efetivar ações conjuntas.

 

“Quando não se tem o que comer, quando não se tem uma educação fortalecida, a possibilidade disso se tornar um problema de segurança pública é alta”, completou.

 

O Presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública, vereador Josias da Juco (PSD), autor da Lei que implantou o Programa Vizinhança Solidária em Osasco, falou sobre o papel da Frente Parlamentar e sobre a necessidade de unir forças para fortalecer as forças de segurança na cidade.

 

“Estamos fazendo algumas reuniões para que possamos melhorar as condições de trabalho de todos. Também colocamos aqui a honraria das forças de segurança, que tem como objetivo homenagear profissionais que prestam serviços de forma exemplar. Acreditamos que as forças de segurança precisam, sim, ser valorizadas”, comentou Josias, ao falar sobre a possibilidade de Osasco ser a primeira cidade no país a regulamentar o trabalho dos motoristas de aplicativos. “Sabemos que existe uma dificuldade em fazer isso, mas precisamos proporcionar segurança para todos, inclusive para os que trabalham como entregadores”, afirmou Josias.

Da Redação