Cioeste estuda criar Ambulatório Trans para a população LGBTQIA+

 Cioeste estuda criar Ambulatório Trans para a população LGBTQIA+

Divulgação

O Grupo de Trabalho (GT) de Gênero do Cioeste (Consorcio Intermunicipal da Região Oeste Metropolitana de São Paulo) está analisando a possibilidade de criar na região um serviço de atendimento às vítimas de abuso psicológico e um Ambulatório Trans para a população LGBTQIAP+.

 

O assunto foi debatido durante reunião que aconteceu no último dia 30 e foi mediada pela secretária de Política para Mulher e Promoção da Diversidade (SEMUD) de Osasco, Luciana Ribeiro; e contou com a participação da vice-prefeita de Cotia, Ângela Maluf; do secretário executivo do Cioeste, Jorge Lapas e do diretor de Comunicação, Mauro Sérgio Santos.

 

“O encontro visou o andamento de pautas importantes como a expansão do projeto Casa de Passagem e Acolhimento, que visa prestar atendimento e abrigo a mulheres vítimas de violência doméstica, a importância da emancipação dessas mulheres por meio de capacitação profissional e a necessidade de parcerias com empresas que absorvam esta mão-de-obra, dentre outros tópicos. O GT de Gênero também começou a estruturar o evento de conscientização sobre a luta da mulher, que acontecerá em Santana de Parnaíba”, informou o consórcio.

 

Graciela Zabotto