Corpos do cemitério clandestino estavam decapitados

Em entrevista ao Diário da Região, o delegado Aloysio Ribeiro de Mendonça Neto, titular da Seccional de Carapicuíba, disse que os três corpos encontrados no cemitério clandestinos, de Itapevi, estavam decaptados.

Nas três covas descobertas no local, o corpo das vítimas estavam separados da cabeça.

A Polícia Civil chegou à Vila Cruzeiro por meio de denúncia anônima. A área é de mata fechada e difícil acesso.

Os cadáveres foram levados ao IML (Instituto Médico Legal) de Osasco.

O delegado explicou que o estado de “esqueletização” impediu a identificação do sexo. Acredita-se que sejam três homens.

Há suspeitas de que eles tenham sido torturados antes de serem assassinados. Os três estavam com as mãos amarradas para trás.

Familiares de pessoas desaparecidas, com registro de boletim de ocorrência, serão chamadas na delegacia.

O objetivo será tentar identificar as vítimas por meio de roupas, pulseiras, anel e demais vestimentas. Não está descartada a realização de exame de DNA.

Indícios apontam que as mortes tenham ocorrido há aproximadamente 4 meses.

Pela forma cruel dos assassinatos é provável que os três tenham sido assassinados pelo Tribunal do Crime, ligado ao PCC.

O “tribuna” é uma espécie de justiça com as próprias mãos contra quem não segue as normas da facção criminosa. Em geral, as vítimas têm ligação com o tráfico de drogas.

Maranhão Gomes