De olho no Mundial Quênia faz jogo-treino com Osasco

 De olho no Mundial Quênia faz jogo-treino com Osasco

Divulgação

A seleção de vôlei feminino do Quênia, que chegou ao Brasil no final de junho, com 16 atletas e dois membros da comissão técnica, para se preparar para o Campeonato Mundial, fará um jogo-treino contra o Osasco São Cristóvão Saúde nesta sexta-feira (15). O confronto será com portões fechados, mas o técnico Luizomar de Mouta programa amistosos entre Quênia e Osasco com portões abertos. Será uma oportunidade de conhecer de perto as atletas africanas e também o novo elenco osasquense que se prepara para a temporada 2022/23.

A ponte Osasco-Quênia começou a ser erguida quando Luizomar e mais cinco membros da sua comissão técnica seguiram até a África para a reta final de preparação visando a Olimpíada de Tóquio. No Japão, os alicerces dessa estrutura ganharam uma base sólida. Agora, após a chegada das quenianas para um período de treinos no Brasil, a ligação entre os dois continentes se completa, abrindo definitivamente o caminho para o intercâmbio que visa o desenvolvimento do vôlei entre os africanos, patrocinado pelo programa piloto da FIVB Volleyball Empowerment, da Federação Internacional de Vôlei.

“É uma alegria e uma honra receber a seleção queniana em Osasco. Desde a experiência no trabalho para a Olimpíada de Tóquio, aprendemos não só a gostar, mas respeitar o empenho, dedicação, humildade e vontade de aprender de todas elas. Isso sem contar a alegria contagiante”, comentou Luizomar.

As quenianas permanecerão em Osasco por um período de cerca de três meses, na reta final de preparação para o Campeonato Mundial, entre 23 de setembro a 15 de outubro, na Holanda e na Polônia. O Quênia está no Grupo A ao lado da Holanda, da Itália, atual campeã europeia, além de Bélgica, Porto Rico e Camarões.

Além da contar com toda estrutura do Ginásio José Liberatti e o intercâmbio com o Osasco São Cristóvão Saúde, a seleção queniana consegue, graças ao Programa de Capacitação de Vôlei da Federação Internacional de Vôlei (FIVB), o Volleyball Empowerment, manter a sequência do trabalho iniciado por Luizomar nos Jogos de Tóquio. (com webvolei.com.br)

Da Redação