Deputados repudiam bolsonarista que matou petista em festa temática a Lula

 Deputados repudiam bolsonarista que matou petista em festa temática a Lula

Reprodução

Uma câmera de segurança registrou o momento em que um apoiador do presidente Jair Bolsonaro invadiu festa de aniversário e matou o guarda municipal Marcelo Arruda. Ele era tesoureiro do PT de Foz do Iguaçu e comemorava seus 50 anos aniversário em uma festa que tinha como tema o Partido dos Trabalhadores e o ex-presidente Lula. A comemoração era realizada na sede da Associação Esportiva Saúde Física Itaipu, na Vila A. O crime aconteceu no sábado (9).

Segundo o boletim de ocorrência, o indivíduo chegou ao local gritando “Aqui é Bolsonaro”. Nas imagens da câmera de segurança, o tesoureiro do PT aparece caindo no chão do salão após ser atingido por um primeiro tiro. O atirador, identificado como Guaranho e que é agente penitenciário federal, entrou no local e faz um segundo disparo. Em seguida, uma mulher tentou impedir a agressão do suspeito e o empurrou. O homem saiu atirando. As imagens da sequência mostram que a vítima revidou dando tiros no agressor, que foi ao chão, à esquerda da imagem. Arruda foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. Guaranho foi socorrido e encaminhado ao hospital onde permanece internado em estado grave.

Nas redes sociais deputados da região repudiaram a atitude do bolsonarista. Alexandre Frota, do PSDB, chamou o assassino de vagabundo e idiota extremista. “Fica aqui meu repúdio a essa intolerância, ao que esse vagabundo, assassino, bolsonarista, idiota extremista fez. Matou um pai de família por causa de política. Meus sentimentos à família do Marcelo”, publicou o parlamentar federal.

A postagem foi acompanhada de um vídeo onde Frota disse que o assassino não será punido. “Conservador, de família, cristão, Deus acima de tudo, fazendo arminha com número 17, esse covarde entra dentro de uma festa de aniversário comemorada por uma família, inclusive com crianças dentro, e atira covardemente contra o pai dessa criança, levando essa pessoa a óbito. Ele entrou na festa dessa família só porque a decoração do aniversário era em homenagem ao Lula. É uma vergonha isso, é inaceitável e até agora o presidente Bolsonaro não se pronunciou quanto às ações covardes realizadas por um fã dele, por uma pessoa que é incentivada a usar arma, uma pessoa que [é] incentivada a gritar suas ideologias radicais, tá aí um assassinato frio, brutal, covarde e vocês sabem que deve ficar por isso mesmo porque nós estamos num país da impunidade”.

Já o deputado estadual Emidio de Souza (PT) disse que Bolsonaro incita “clima de ódio”. “Infelizmente o clima de ódio, intolerância e de violência política incitado por Bolsonaro levou um querido companheiro. Marcelo foi morto por um bolsonarista no dia que celebrava os seus 50 anos. Um triste fato que mostra como tudo feito por Bolsonaro está errado. A incitação ao ódio fez um sujeito usar uma arma para destruir uma família. Muito triste. Toda solidariedade aos familiares e amigos do Marcelo, bem como à militância do PT de Foz do Iguaçu”, postou em suas redes sociais.

Da Redação