Estado anuncia Bolsa do Povo Educação com benefício de R$ 500 por mês

 Estado anuncia Bolsa do Povo Educação com benefício de R$ 500 por mês

Divulgação

O governador João Doria anunciou na quarta-feira (14) o início das inscrições para o programa Bolsa do Povo Educação. Na região metropolitana de São Paulo a iniciativa irá contratar 2.490 responsáveis de alunos da rede estadual de ensino para prestar apoio geral às escolas, com um benefício mensal de R$ 500 por mês durante seis meses.

Eles vão atuar principalmente no acompanhamento de protocolos sanitários, garantindo o retorno presencial seguro para estudantes e funcionários. Em todo estado serão 20 mil beneficiados pelo programa. 

“O Bolsa do Povo Educação é mais um programa da Rede de Proteção Social do Governo do Estado de São Paulo, que já beneficia hoje 2 milhões de pessoas em situação de alta vulnerabilidade”, disse Doria.

As inscrições acontecem de 19 a 31 de julho e podem ser feitas pelo site https://www.bolsadopovo.sp.gov.br/. A medida faz parte de uma série de anúncios do Governo do Estado para o enfrentamento das condições adversas geradas por conta da pandemia do coronavírus. 

Segundo o estado, o Bolsa do Povo Educação tem como principal objetivo auxiliar as famílias a superar os desafios educacionais e financeiros provocados pela pandemia e ampliar o envolvimento de toda a comunidade escolar, reforçando vínculos entre alunos, professores e servidores da Educação e gerando novos postos de ocupação. 

Com a medida, o governo de São Paulo vai proporcionar novas ocupações, ampliar a qualificação profissional, gerar renda para parte da população desempregada e aumentar as equipes escolares, mobilizando mais pessoas em prol da Educação.

“O programa é uma medida muito importante, tanto para as escolas quanto para as famílias que mais precisam. Temos trabalhado muito no Governo de São Paulo para apoiar a todos, na área social, inclusive na alimentação escolar, servindo marmitas para os alunos”, afirmou Rossieli Soares, Secretário Estadual da Educação.

Após as inscrições, os candidatos serão entrevistados pelas próprias unidades de ensino. Depois da aprovação das escolas, as Diretorias de Ensino vão fazer a validação para efetivar contratações a partir de 16 de agosto.

Para participar é necessário:

• Ser responsável legal por aluno da rede estadual (um responsável por família);

• Estar desempregado há pelo menos três meses;

• Ter entre 18 e 59 anos;

• Morar próximo à unidade escolar (raio de dois quilômetros). 

São critérios preferenciais:

• Estar cadastrado no CadÚnico;

• Ser mãe de aluno da rede estadual;

• Ter filho estudando na escola de interesse;

• Proximidade entre endereço residencial e escola;

• Maior idade. 

Da Redação