Elsa votará a favor de projeto que permite trans usarem banheiros pelo nome social

 Elsa votará a favor de projeto que permite trans usarem banheiros pelo nome social

foto: Robson Cotait

Na Câmara de Osasco o Projeto de Lei 9/2021, apresentado pelo mandato coletivo AtiVoz (PSOL), que garante o uso de banheiros de acesso público a travestis, transexuais e pessoas intersexo de acordo com a sua identidade de gênero, já tem um voto a favor.

Em entrevista ao Diário a vereadora Elsa Oliveira (Podemos) declarou que apoia a proposta da AtiVoz. “Eu sou a favor. Faço parte da Comissão de Políticas Afirmativas de Raça e Gênero na Câmara e sou a favor que a gente se sinta bem, se sinta feliz. Acho que a gente precisa começar a entender o que é ser transgênero. Então vamos refletir”.

A parlamentar ainda citou a personagem Ivana da novela global A Força do Querer. “Ela nasce menina, mas nunca se sentiu uma mulher. Ela se sente um homem. Quem olha pra ela vê um homem. Então por que ela tem que ir ao banheiro feminino? Passar todo constrangimento do segurança ir atrás porque entrou no banheiro feminino… pra quê a pessoa tem que passar por isso? Se a pessoa se sente mulher vá ao banheiro feminino. Se se sente homem vá ao banheiro masculino. Ponto final. Sem muito mimimi. Sou a favor e vou votar a favor sim”.

Questionada sobre como deve ser a discussão desse projeto com as bancadas evangélicas e católicas na Casa, Elsa tem uma visão bastante otimista. “Temos na Câmara os colegas evangélicos e eles têm se apresentado muito abertos a este tipo de discussão e eu tenho ficado muito feliz, muito mesmo. Não acho que vamos ter problema com esses vereadores que deixaram claro quais são suas escolhas religiosas porque eles respeitam essa diversidade. Acho que a primeira coisa que a gente tem que pensar, enquanto políticos, é que fomos eleitos pelo povo, e não por uma religião x ou y. Apesar dessa ligação muito forte. Eu, enquanto Elsa, escolho a minha religião, enquanto vereadora essa escolha pessoal não pode estar acima dos interesses públicos”.

Graciela Zabotto