Emicida comenta caso de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso: “Faltou uma voadora”

 Emicida comenta caso de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso: “Faltou uma voadora”

Reprodução/GNT e Instagram

Uma das várias discussões do “Papo de Segunda”, GNT, nesta segunda-feira, 1º de agosto, foi o caso recente em que Giovanna Ewbank acusou uma mulher de racismo e defendeu seus filhos após acusações racistas.

Com Lilian Cabral como convidada, os participantes da bancada falaram sobre o caso e elogiaram a atitude da atriz. A mulher que fez ataques racistas a Titi e Bless foi levada à delegacia, mas o vídeo viralizou e ganhou o país nos últimos dias.

Nas imagens, Giovanna grita com a agressora por causa das atitudes racistas que a mulher pronunciou antes. A mãe de três confirmou que ela mandou os filhos saírem daqui, porque aquele lugar não era para eles, por causa de sua cor de pele.

De acordo com Emicida, na pancada do Papo de Segunda, a reação de Gio e da família “foi pouco” para o que as crianças sofreram. Apesar da notícia de que Giovanna também bateu na mulher ser pública, o músico ressaltou que “faltaram” alguns golpes.

O único erro foi não ter tido uma voadora nesse vídeo. Essa velha merecia uma voadora. A mina tinha que ter entrado naqueles drops. Maldade muito grande com uma criança, sem tamanho!”

Em seguida, Lilian Cabral concordou com o rapper. Ela falou em “encaçapar” a racista. A estrela do teatro no Brasil ainda elogiou a atitude do casal.

“Eu acho que foi pouco mesmo. Tinha que encaçapar. A família que eles escolheram é uma atitude muito bonita. E é muito bonito ver a forma como eles estão defendendo em particular. Eles colocam, nessa situação, é como se deve agir”, finalizou. (ofuxico.com.br)

Da Redação