Encontro em Osasco debate ocupação de espaços públicos por mulheres negras

 Encontro em Osasco debate ocupação de espaços públicos por mulheres negras

Foto: Robson Cotait

O espaço Casa de Angola vai sediar no próximo sábado (23), a partir das 15h, o evento “Onde estão as mulheres negras?”, organizado pela mandata AtivOz, coletivo de vereadores do município.

O encontro integra as comemorações do Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha, reconhecido pela ONU em 1992 depois de evento histórico, ocorrido na República Dominicana, denunciando a estrutura racista que coloca as mulheres pretas em situações totalmente vulneráveis em todas as esferas da sociedade.

No círculo de conversas, mediado pela covereadora da AtivOz Karina Correia, o tema principal será a ocupação dos espaços públicos pelas mulheres negras, com destaque para o aumento da sua participação política nas esferas municipal e estadual.

Após a abertura, com a bênção da Yalorisá Luciana d’Ogum, haverá música e poesia. Os debates acontecerão em seguida, e terão a participação da deputada estadual Mônica Seixas; da vereadora da AtivOz, Juliana Curvelo, discutindo a mulher negra dentro do parlamento; da Carol Seixas, falando sobre a mulher negra nos espaços culturais; da Najara Costa, de Taboão da Serra (autora do livro “Quem é negro no Brasil”), e Rose Soares, de Barueri, que falará acerca da importância das mulheres pretas no cristianismo antifascista.

“A organização das mulheres pretas, a partir de formações com base no feminismo negro e na luta antirracista e anticapitalista, nos levará à ascensão e ao poder. Política com afeto, reparação e reintegração de posse é o que precisamos enquanto corpos vulneráveis e também corpos essenciais para o crescimento contínuo de toda sociedade”, pontua Karina Correia.

A Casa de Angola fica na avenida Visconde Nova Granada, 513, Km 18. O evento ainda terá como convidados representantes do COMPIR (Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial), UNEGRO (União de Negros pela Igualdade) e do grupo Juntas por Barueri.

Da Redação