• 27/07/2021

Equipe de Alphaville sai com a vitória no Rally Jalapão

Após três dias de disputa e 1.231 quilômetros percorridos, sendo 718 de trechos cronometrados (Especiais), terminou no sábado (29), a 6ª edição do Rally Jalapão, no Oeste da Bahia. A equipe de Alphaville, Bianchini Rally/Power Husky, conquistou quatro pódios na prova válida por três etapas do campeonato Brasileiro de Rally Cross Country.

O piloto gaúcho Marcos Colvero faturou o título na Over 45 (MOV), após vencer dois dias seguidos na categoria. Christiano Pressi foi o melhor colocado da equipe na geral, ao terminar o rali entre os TOP10 da geral e na 4o posição na Production (MT2). O catarinense César Augusto Bogo finalizou em 3o na Over Pro e 17o na geral.

Para o piloto de Alphaville, Fabrício Bianchini, que nesta prova foi como chefe de equipe e não competiu, o saldo foi positivo: “Foi um rali sensacional, as três motos terminaram bem e conseguimos a vitória do Colvero. Nos UTVs, Fliter andou muito bem e pegou Top10, Gustavo fez um bom rali e somente o Moses teve problemas com o carro, mas saiu satisfeito”, finaliza.

Nos UTVs, os três pilotos da Barueri completaram com êxito o rali. Destaque para a dupla Richard Fliter/André Munhoz que terminou no pódio, em 3o na Pro Elite (UT1) e entre os Top10 da geral. “No primeiro dia tirei pé para experimentar a correia, no segundo dei uma força e hoje (sábado) andamos em um ritmo mais forte. Foi uma prova bem legal e gostosa, serviu para testar o carro e também fazer um treino com novo navegador, afinal o Sertões está chegando”, explicou Richard.

Gustavo Zanforlin/Rodolpho Costa fecharam em 7º na UTV Pro (UT2). Já o aniversariante do dia Moses Fliter, que comemorou 59 anos no meio do rali, finalizou em 5º na Over 45 noterceiro dia de prova, ao lado do navegador Guilherme Holanda. A dupla encerrou o rali em 7º na categoria por conta de problemas mecânicos. “Rali fantástico, técnico, peguei experiência no areião e tive uma sinergia boa com meu novo navegador. Tive problema no primeiro dia quando estourou o eixo da transmissão e, desde então, andei o rali inteiro em 4×2 o que prejudicou o desempenho, mas que valeu muito a pena”, conta o piloto.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.