Eventos com aglomeração serão obrigados a ter ambulância

 Eventos com aglomeração serão obrigados a ter ambulância

(Divulgação)

A Câmara de Osasco aprovou, com 16 votos a favor e uma abstenção, o projeto de lei 349/2017, que torna obrigatória a permanência de ambulância com condutor e profissional da área da saúde em todas as unidades hospitalares, prontos socorros e unidades básicas de saúde, das redes privadas e públicas, e eventos onde haja grandes aglomerações de pessoas.

De acordo com o projeto, apresentado pelo vereador Pelé da Cândida (MDB), será “obrigatória a permanência de uma ambulância de resgate com um condutor e um profissional da área de saúde em lugares com aglomerações como centros comerciais, centros de convenções, escolas e demais equipamentos públicos, estádios, teatros e centros de lazer, cinemas, parques e outros locais onde sejam autorizas a realização de eventos, mesmo que ao ar livre”.

Em sua justificativa Pelé ressaltou que Osasco é uma cidade com cerca de 700 mil habitantes, “o que indica a média de 10.769 habitantes por quilômetros quadrado. Uma das mais altas concentrações humanas do estado de São Paulo”.

“Podemos facilmente perceber que qualquer evento que aconteça na cidade atrai grande quantidade de pessoas, não havendo, com raras exceções, nenhuma viatura disponível para socorrer pessoas em situação de emergência, colocando em risco suas vidas”, completou no documento.

Na tribuna Pelé defendeu o projeto. “A gente tem que lutar cada vez mais para que os hospitais, pronto socorros e unidades de saúde estejam bem equipados. Qual é o vereador aqui que nunca recebeu uma ligação de um munícipe pedindo uma ambulância? A gente sempre recebe essa demanda, então a gente não está aqui só para cobrar, mas também para dar soluções”.

A necessidade da presença de ambulância em grandes eventos foi destacada pelo vereador Carmônio Bastos (Podemos). “Gostaria de parabenizar o vereador Pelé pelo Projeto de Lei. Sabemos do sofrimento que é conseguir ambulâncias e médicos disponíveis em grandes eventos. Então, eu acho que esse projeto é bom para a cidade, é bom para todos”, afirmou. O projeto foi encaminhado para sanção ou veto do prefeito Rogério Lins.

Graciela Zabotto