Ex-mulher acusa empresário de esconder R$ 4,8 bilhões para fraudar divórcio

 Ex-mulher acusa empresário de esconder R$ 4,8 bilhões para fraudar divórcio

(Divulgação)

Um empresário do ramo de logística é acusado pela ex-esposa de manipular a contabilidade do seu grupo empresarial para esconder o próprio patrimônio e não dividi-lo. O valor da suposta omissão dos bens, que incluem aviões e mansões, é estimado em R$ 4,8 bilhões. Os advogados do empresário negam as acusações. O processo de divórcio tramita no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP).

Em outubro de 2009, o empresário Luciano Luft, 49, um dos sócios do Grupo Luft, chegou a um acordo consensual de separação sem partilha de bens com a então esposa, Janaína Rocha Luft, 47. Ele teria alegado que as empresas passavam por dificuldades e por isso o divórcio seria a alternativa para blindar o patrimônio. De acordo com Janaína, o empresário permaneceu em casa até abril de 2010, quando decidiu deixá-la com os três filhos para viver com outra pessoa.

“Ele pediu para fazer a mudança de regime dos bens alegando que atrapalhava nos negócios, pois gostaria de mais liberdade, não dependendo da minha assinatura. Soube depois que se tratava de um golpe porque quando, de fato, nos separamos, acessei esse processo e vi que estava errado. Quando eu assinei, nem sabia o que estava no documento e depois que saiu de casa, isso já estava valendo”, dise Janaína.

Com base nos documentos apresentados pelo empresário, o perito emitiu um laudo que apontou um patrimônio de R$ 4,7 milhões. A contestação de Janaína foi negada porque a Justiça avaliou que ela ficou com uma casa em Barueri (SP), avaliada em R$ 5 milhões – valor superior ao cifrado no laudo pericial. Patrimônio real seria de R$ 4,8 bilhões Segundo a ex-mulher, o valor real das empresas e bens constituídos pelo casal entre 1995 e 2009, contudo, é bem maior: R$ 4,8 bilhões.

Janaína procurou advogados para recorrer da decisão. A nova defesa analisou o processo e verificou indícios de fraudes nos documentos de Luft. Janaína contesta na Justiça pelo menos 14 supostas fraudes cometidas pelo ex-marido para não dividir os bens. Elas abrangem empresas, mansões e aeronaves. A Receita Federal mantém sigilo do caso.

Da Redação